F1

Nasr controla emoção nas voltas finais do GP da Austrália e admite que não esperava quinto lugar na estreia

Felipe Nasr é o piloto mais realizado do mundo hoje. Quinto colocado no GP da Austrália, o brasileiro não escondeu a emoção pelo resultado, agradeceu aos familiares e apoiadores e se sentiu aliviado por toda pressão que sofreu durante a semana
Warm Up / VICTOR MARTINS, de São Paulo
Felipe Nasr entrou neste domingo (15) para a história do automobilismo brasileiro — e quem diria que isso aconteceria diante de todo o 'caso Van der Garde' que lhe tirou o sono e o sossego. O piloto conseguiu levar a Sauber ao quinto lugar neste domingo na Austrália, conseguindo não só seus primeiros pontos na categoria, mas um resultado histórico.

O brasileiro estava extremamente emocionado assim que desceu do carro da Sauber. "Nem eu esperava que fosse assim", declarou à TV Globo. "Estou muito feliz, não dá para esconder. E controlar a emoção no final foi difícil. É uma sensação enorme para todo o Brasil, para meus patrocinadores, minha família e todo mundo que acreditou, que trabalharam muito para isso. É uma recompensa para todos nós.

Nasr não deixou de mencionar o fato que afetou toda a semana da Sauber, o 'caso Van der Garde'. Foi um alívio para mim e para todo mundo pelo que a gente passou no fim de semana. Foi inacreditável, e sair com um quinto lugar não tinha como ser melhor", completou. Nasr conseguiu na classificação de sábado a 11ª posição no grid de largada, quase passando ao Q3. Mas logo no domingo pela manhã, soube que ganharia um posto no grid pela ausência de Valtteri Bottas, impedido de correr por conta de suas dores nas costas. Na largada, pulou para a sexta posição e quase se enroscou em um acidente com Pastor Maldonado, que acabou batendo e provocou a entrada do safety-car. Quando veio a bandeira verde, Nasr passou o espanhol Carlos Sainz, da Toro Rosso, e manteve-se em quinto tranquilamente até a parada nos boxes.

Foi ali que Nasr acabou perdendo uma posição pela diferente estratégia de Kimi Räikkönen, que vinha muito mais rápido na pista. Estabelecido em sexto, Felipe conduziu o C34 sem sustos até o fim.

Até então, o melhor desempenho de um brasileiro na sua primeira prova na F1 eram dois: o de Wilson Fittipaldi e Chico Serra, sétimos colocados no GP da Espanha de 1972 e do GP dos EUA-Oeste de 1981, respectivamente. Naquela época, a sétima posição não dava pontos, o que significa dizer que Nasr é o primeiro brasileiro que pontua em sua primeira corrida na categoria.