Nasr sugere ignorar novo fornecedor de freios caso problemas continuem na Áustria: “Sei o que é bom para mim”

Os problemas no freio que assombraram Felipe Nasr no Canadá podem estar de volta na Áustria. A mudança de fornecedor da Sauber para os freios não funcionou para o brasileiro, que sugere voltar ao freio antigo caso não consiga resolver as dificuldades nos treinos livres

Felipe Nasr passou por dificuldades com seus freios há duas semanas, quando a F1 passou pelo Canadá. Sem muito a fazer já que os freios não contribuíam, andou bem atrás, ficando à frente apenas de uma das Manor Marussia e dos pilotos que abandonaram a prova. Os problemas foram fruto de uma mudança que não encaixou com o piloto. Nos treinos livres na Áustria, em uma pista onde os freios são altamente exigidos, ele vai tentar uma saída diferente para solucionar o problema.
 
O caso se trata entre briga por pontos ou mediocridade total. Se não conseguir frear naturalmente em Spielberg, o brasileiro não vai ter dias melhores que em Montreal. 
 
"Eu tenho corrido com outro material desde o início do ano, mas nas últimas duas provas, Mônaco e Canadá, estivemos com outro fornecedor, e é aí que estou tendo dificuldades. Estava acostumado com o outro material, e o fato de no Canadá os freios serem tão exigidos foi o que nos fez mudar mudar de material, mas não se encaixou com o meu estilo de guiar", disse.
Felipe Nasr enfrentou dificuldades ao longo do dia com a Sauber em Montreal (Foto: AP)
Nasr vai tentar se manter com o novo tipo de freio que a Sauber adotou, mas deu o recado: se na sexta não der certo, vai voltar ao antigo.
 
"Fizemos modificações nos freios e vamos testar na sexta. Se não funcionar, temos outra solução para tentar. Se eu não puder parar o carro propriamente, então você compromete todo o resto. Foi o caso no Canadá, quando eu tinha a saída das curvas comprometidas. Nunca estive feliz lá", seguiu.
 
"A solução é voltar ao outro material. Eu vou trabalhar amanhã para ver se essas modificações funcionam. Caso não funcionem, eu sei o que é bom para mim", encerrou.
 
Felipe tem 16 pontos e é o décimo colocado do Mundial de Pilotos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube