Newey recorda Brawn GP e admite que novo regulamento da F1 deve chacoalhar ordem das equipes

Adrian Newey, projetista da Red Bull, sabe que o novo regulamento técnico da F1 vai trazer um grande desafio para as equipes. Ainda sem saber ao certo quais serão os melhores caminhos no desenvolvimento dos carros, algumas escuderias podem se complicar

Com 2016 já no passado, as equipes da F1 pensam no que 2017 reserva. Com um regulamento técnico bastante modificado – pneus mais largos e aerodinâmica mais avançada, por exemplo –, a expectativa é de mudança na distribuição atual de forças. Para Adrian Newey, projetista da Red Bull, a expectativa é de equipes medianas se superando – mesmo que a tendência seja a vantagem das gigantes.
 
“Sempre que acontece uma mudança de regulamento, algumas equipes interpretam as mudanças melhor do que outras”, disse Newey, em entrevista à ‘Sky Sports’. “As grandes equipes, com mais recursos, costumam interpretar melhor. Mas em 2009 tivemos grandes mudanças e não foi o caso, foi a Brawn GP e nós (Red Bull) que interpretamos bem. As grandes, Ferrari e McLaren, sofreram um pouco”, completou.
 
Já em 2014, quando o regulamento sofreu uma mudança profunda, com a introdução dos motores V6 Turbo, a Red Bull ficou para trás. O antigo bicho-papão da F1 não fez nem cócegas na Mercedes, situação que não mudou em 2015 e 2016.
Adrian Newey (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Essas idas e vindas das equipes são consequências de uma série de apostas. Mesmo sem saber ao certo o que vai funcionar, Newey reconhece que é necessário tomar decisões importantes desde o princípio. E aí, tentando se guiar no escuro, é possível que a situação não seja a ideal.
 
“Você tem muitas ideias quando o regulamento muda, e você precisa focar em uma direção, uma filosofia para o carro. Mesmo sendo uma das maiores equipes, não temos condições de fazer várias coisas ao mesmo tempo. É o caso de ‘essa é uma opção que achamos estar certa’ e torcemos para acertar. Sempre é possível que alguém tenha feito outra escolha que acabe sendo melhor”, encerrou.
 
A temporada 2017 da F1 se inicia em 26 de março, data reservada para o GP da Austrália.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube