Mazepin diz que “não se orgulha” de caso de assédio e que aprendeu lições

Nikita Mazepin ainda lida com as repercussões do vídeo em que aparece agarrando os seios de uma mulher. O russo sente que o incidente deixou um aprendizado para a vida

Já se vão mais de dois meses desde o vídeo de Nikita Mazepin assediando uma mulher, caso que ganhou notoriedade e manchou a imagem de um dos estreantes da Fórmula 1 em 2021. O novo piloto da Haas encara a situação com nova abordagem: entrevistado pela ESPN, o russo diz que o ocorrido deixou aprendizados, apesar de não ter orgulho algum.

“Acima de tudo, é muito importante dizer que minhas ações naquele incidente de dezembro foram incorretas”, disse Mazepin, que se filmou agarrando os seios de uma mulher, claramente incomodada com a situação. “Eu assumo responsabilidade completa por isso. Foi um grande aprendizado e posso dizer com convicção que hoje sei muito mais sobre esse tipo de assunto do que antes, então há uma pequena parte positiva nisso”, destacou.

O caso reverberou nas redes sociais, onde o público cobrou ação da Haas. A hashtag #WeSayNoToMazepin cobrava a demissão sumária do russo. A situação, entretanto, não mudou: Nikita segue confirmado como companheiro de Michael Schumacher e poucas semanas distante da estreia na Fórmula 1. A escuderia americana se limitou a repudiar o incidente.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mazepin pilota pela Haas em 2021 (Foto: Haas)

“Eu entendo completamente que as reações deles [público] foram corretas e minhas ações foram incorretas”, destacou. “Não me orgulho disso, mas é importante progredir. As pessoas que me acompanharam ao longo de 21 anos sabem quem eu sou. É muito difícil para mim ser falso com os outros e estou longe disso. Eu sou eu mesmo fora da pista, como eu costumo ser. Eu tive meus altos e baixos, e isso faz parte da vida. Acho que o automobilismo deve falar por mim. Eu acredito que sou um bom piloto, que sou rápido. Estou ansioso para lidar com o desafio de mostrar às pessoas que não gostam de mim que eu tenho talento. Espero que isso mude as percepções a respeito de mim”, continuou.

Mazepin já tinha ficha corrida no esporte a motor, mas muito por conta da conduta dentro das pistas. O russo acumulou 11 pontos de punição ao longo da jornada na Fórmula 2, consequência de uma pilotagem excessivamente agressiva. Faltou pouco para acionar a suspensão automática por uma corrida. Dito isso, o piloto mostrou alguma velocidade e venceu corridas, além de trazer pesado suporte financeiro, muito necessário para uma Haas que considerou fechar as portas ao fim de 2020.

A jornada de Mazepin na F1 começa em 28 de março, data do GP do Bahrein. Antes disso, em 4 de março, a Haas revela o carro da temporada 2021.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube