F1

No GP dos Estados Unidos, F1 faz treino classificatório no dia da corrida pela décima vez na história

A forte chuva que caiu na tarde de sábado em Austin, no Texas, fez com que a F1 adiasse para as 12h (de Brasília) deste domingo a definição do grid de largada para o GP dos Estados Unidos. É a quarta vez que isso acontece, e a décima vez em que uma sessão é marcada para poucas horas antes da largada

Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
O GP dos Estados Unidos de 2015 vai marcar a décima vez na história da F1 em que o grid de largada será definido no mesmo dia da corrida — se a sessão puder acontecer, é claro.
 
Devido à forte chuva que caiu no Texas na tarde de sábado, reflexo da tempestade tropical Patrícia, que começou no Oceano Pacífico e atinge também a região do Golfo do México, o treino classificatório não pôde acontecer. Após três horas de espera em vão, a FIA não viu outra alternativa a não ser tentar realizar a sessão às 12h (de Brasília) deste domingo (25).
 
Assim, pela quarta vez na história, um treino teve de ser adiado para o dia do GP.
Cenário de Austin durante terceiro treino livre do sábado (Foto: Getty Images)
As duas primeiras vezes em que isso aconteceu foram no Japão, nos anos de 2004 e de 2010. Em 2004, era a aproximação de um tufão que causava o mau tempo. Já em 2010, foi uma tempestade daquelas.
 
A última ocasião foi na Austrália, em 2013. O treino chegou a ter início e o Q1 foi disputado, mas o dilúvio se intensificou sobre o Albert Park no intervalo para o Q2 e forçou a bandeira vermelha. Com a pista encharcada demais para os carros e a aproximação do anoitecer, foi preciso completar a sessão no dia seguinte.
 
A coincidência
 
Nesses três GPs, a pole-position ficou com um alemão. Em 2004, de Ferrari, Michael Schumacher saiu na frente. Em 2010 e em 2013, Sebastian Vettel com a Red Bull.
 
Vettel, no entanto, não pode ficar com a pole em Austin: ele e Kimi Räikkönen trocaram de motor e perderão dez posições cada no grid.
 
Mas e as outras seis vezes?
 
Bem, após a primeira experiência com a classificação em um domingo em 2004, Bernie Ecclestone gostou da ideia. Assim, a temporada 2005 começou com a classificação dividida em duas partes: no sábado, os pilotos iam à pista para uma única volta lançada e de tanque vazio; no domingo, davam mais uma volta lançada, mas agora com a quantidade de combustível que teriam no tanque na corrida. O grid era definido pela soma dos tempos dos pilotos.
 
Acontece que o formato se tornou extremamente impopular e confuso, afinal, a classificação disputada no sábado deixou de ter importância e o retorno de audiência da sessão na manhã de domingo foi ruim. Além, é claro, das questões técnicas e do pouco tempo que os times passaram a ter para preparar o carro e a estratégia para a corrida.
 
Em Mônaco, uma reunião entre as dez escuderias e a FIA aprovou por unanimidade o fim imediato do formato. Na corrida seguinte, o GP da Europa, os pilotos voltaram a se classificar aos sábados com uma volta lançada e já com os pneus e o combustível que teriam na hora da largada.