No temporal de Spa, Kobayashi lidera primeiro treino no retorno da F1. Massa tem problema

Em sessão tradicionalmente caótica para os padrões de Spa-Francorchamps, a chuva deu as cartas na manhã desta sexta-feira. Kamui Kobayashi cravou o melhor tempo, com 2min11s389

► Quer concorrer a 2 prêmios da Mercedes? Participe já da promoção

A manhã desta sexta-feira (31) representou a volta do som do ronco dos motores à F1 33 dias depois da vitória de Lewis Hamilton no GP da Hungria. Após um mês de férias de verão na Europa, a categoria retoma a temporada mais emocionante de sua história em um dos seus palcos mais tradicionais, Spa-Francorchamps. E como é de praxe no circuito belga, a chuva deu as cartas. Melhor para Kamui Kobayashi, que liderou a caótica primeira sessão de treinos livres do GP da Bélgica.

Kobayashi foi o piloto que mais completou voltas em Spa, 20. Na melhor delas, o nipônico marcou 2min11s389, sendo 0s552 mais rápido que Pastor Maldonado, da Williams. Daniel Ricciardo, Jean-Éric Vergne e Mark Webber completaram o rol dos cinco primeiros, indicando que o treino não foi nada normal.

Em treino marcado pela chuva constante em Spa, Kobayashi mitou e cravou o melhor tempo da manhã (Foto: Sauber)

Apenas um brasileiro esteve na pista nesta manhã: Felipe Massa, que completou só duas voltas, mas não registrou tempo. O brasileiro da Ferrari voltava para os boxes quando enfrentou problemas, aparentemente em seu motor, e ficou parado na pista. Bruno Senna, por sua vez, abriu espaço para Valtteri Bottas, que guiou o FW34 de número 19 no primeiro treino do fim de semana.

Saiba como foi o primeiro treino livre do GP da Bélgica de F1

Spa-Francorchamps foi a escolhida para o retorno das férias da F1 na temporada 2012. E o primeiro dia de treinos livres não poderia ter mais a cara da famosa pista belga. A atividade inicial desta sexta-feira (31) começou fria e molhada. Aliás, deste o início da manhã, o tempo esteve fechado e com chuva intermitente, o que fez as temperaturas caírem também. A sessão teve início com os termômetros marcando 12ºC. E o primeiro piloto a ganhar o circuito foi Jean-Éric Vergne. Mas apenas para uma volta de instalação.

O trabalho do francês da Toro Rosso, na verdade, serviu para mostrar as reais condições da pista. Ou seja, os pontos mais críticos, onde a chuva estava mais intensa. Depois de Vergne, Pastor Maldonado também resolveu correr o risco de verificar a situação do asfalto de Spa, assim como Kamui Kobayashi, Nico Hülkenberg, além dos reservas Dani Clos e Valtteri Bottas. Todos apenas em voltas de instalação.

No fim de semana do seu 300º GP, Schumacher iniciou em décimo no primeiro treino (Foto: Mercedes)

Pedro de la Rosa também saiu em seguida, logo à frente de Kimi Räikkönen. O único que completou volta rápida foi Kamui Kobayashi, com 2min17s705, com 11 minutos de sessão.

O líder do campeonato, Fernando Alonso, foi o último a fazer a verificação habitual da pista. O espanhol deixou para sair com o cronômetro já alcançava quase 27 minutos de sessão. Alonso ainda quase escapou da pista na parte final e voltou para os pits, silenciando o veloz circuito belga.

O que se viu, logo depois, foi o aumento da intensidade do volume de água, impedindo que os pilotos fossem à pista para tentativas de voltas rápida, se é que dava para chamar volta rápida, já que o asfalto estava em condições críticas. Só que, desde então, ninguém se aventurou a sequer testar os pneus de chuva extrema na pista encharcada de Spa. O ronco dos motores deu lugar ao silêncio na Bélgica.

Nas arquibancadas, o público também procurou abrigo da chuva embaixo de imensas tendas e barracas. Passados quase 37 minutos de sessão, a chuva aumentou ainda mais, o que esfriou de vez os trabalhos de equipes e pilotos. Uma neblina leve também tomou conta de parte do paddock e da parte final do traçado. 

Os olhares de todos, pilotos, engenheiros e torcida, estavam para os céus e para a previsão meteorológica. A chuva só começou a cessar pouco antes da primeira metade da sessão. Faltando 45 minutos para o encerramento do primeiro treino livre, finalmente o ronco do motor da Toro Rosso de Daniel Ricciardo encerrou o silêncio. O australiano foi o primeiro a se arriscar na pista após o temporal em Spa.

O jovem oceânico baixou em mais de 3s o tempo de Kobayashi e marcou 2min14s520, encorajando outros pilotos a deixarem os boxes, como seu companheiro de equipe, Vergne, 1s842 mais lento que Daniel, Timo Glock, Vitaly Petrov, Valtteri Bottas, Pastor Maldonado, Pedro De la Rosa, Sergio Pérez, Kimi Räikkönen, Nico Hülkenberg, Sebastian Vettel e Mark Webber. Finalmente havia um treino de fato no tradicional circuito belga.

Fernando Alonso praticamente não treinou nesta manhã (Foto: Ferrari)

E com a quantidade maior de carros, a pista melhorava pouco a pouco, ainda que a chuva insistisse em cair em Spa. E, naturalmente, os tempos também foram caindo, com os mais rápidos rodando na casa de 2min12s. Faltando meia hora para o fim da sessão, Ricciardo era o mais rápido, com 2min12s004, 0s011 à frente de Kobayashi. 13 pilotos já haviam completado voltas rápidas.

Hamilton, Alonso, Massa, Button, Vettel e Rosberg, por exemplo, ainda permaneciam nos boxes. Enquanto isso, Maldonado aproveitava para avançar à liderança da atípica sessão ao anotar 2min11s941, com Ricciardo, Kobayashi, Vergne, Pérez, Mark Webber, Bottas, Paul di Resta, Glock e Vitaly Petrov completando o top-10 faltando 21 minutos para o fim da primeira sessão de treinos.

Kobayashi, dono do maior número de voltas no primeiro treino, seguiu imprimindo forte ritmo para as condições críticas da pista e superou o tempo do venezuelano da Williams ao cravar 2min11s389. Dentre os pilotos das grandes equipes do grid, apenas Webber e Jenson Button registraram tempos cronometrados, com Vettel fazendo o mesmo minutos depois, já no fim da sessão.

Leia também:

 A análise completa da temporada 2012 da F1 e a previsão de Flavio Gomes para o restante do Mundial na REVISTA WARM UP. Clique aqui

F1, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, treino livre 1:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube