F1

Norris admite que “seria muito valioso” caso Alonso aceite testar novo carro da McLaren: “Depende dele”

Lando Norris entende que a experiência de Fernando Alonso pode ser bastante benéfica ao processo de desenvolvimento do novo carro da McLaren. Contudo, o prodígio britânico sabe que depende da vontade do bicampeão em voltar a acelerar um carro de F1 durante o inverno
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Lando Norris é o escolhido da McLaren para fechar dupla com Carlos Sainz para 2019 (Foto: F1/Twitter)

No fim de semana que marcou sua despedida como piloto do Mundial de F1, Fernando Alonso levantou a possibilidade de testar o carro da McLaren durante a pré-temporada de 2019, entre fevereiro e março. O cenário foi pintado também pelo chefão do time de Woking, Zak Brown. Lando Norris, contratado para formar a nova dupla da escuderia britânica ao lado de Carlos Sainz, foi questionado sobre o assunto e disse que aprova a ajuda do bicampeão..
 
Norris deixou claro que não se opõe a uma eventual presença de Alonso durante os testes no inverno europeu. Ao contrário, Lando, de apenas 19 anos, conclui que o feedback de alguém com a experiência de quase 20 anos na F1 é muito importante para o desenvolvimento do novo carro. Mas lembrou que depende unicamente da vontade do espanhol.
Lando Norris entende que presença de Alonso no carro de 2019 seria valiosa (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Seria muito valioso” afirmou o piloto em entrevista coletiva em Abu Dhabi, em meio aos testes coletivos que a F1 promoveu em conjunto com a Pirelli entre as últimas terça e quarta-feira.
 
“Fernando sabe como o carro mudou ao longo dos anos, tem mais experiência sobre o que é bom e o que é mal do que eu. Não sei o que vai acontecer, se ele vai continuar fazendo tanta parte da equipe. Ele ainda faz parte da McLaren, mas imagino que depende dele”, salientou.
 
“Por mim, tudo bem. Naturalmente, queria ter o máximo possível de dias, mas se todo mundo decidir e se for para o bem da equipe, sua contribuição vai ser tão importante quanto a do Carlos ou a minha”, considerou o jovem.
 
“É preciso esperar e ver o que ele vai querer fazer, se quiser voltar a subir em um carro de F1”, concluiu o futuro estreante da McLaren na F1 em 2019.