F1

Norris vê McLaren próxima do limite em voltas rápidas nos testes, mas conta com “mais alguns décimos”

As voltas da McLaren em ritmo de classificação deixaram Lando Norris próximo do limite do MCL34. O britânico, terceiro melhor no sétimo dia de testes em Barcelona, acha que o ganho de tempo até o GP da Austrália – seja pelo carro ou pelo piloto – não vai ser tão significativo
Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, do Circuito da Catalunha
A McLaren começou a segunda semana de testes com o pé fundo no acelerador – Carlos Sainz Jr. liderou o sexto dia de testes, enquanto Lando Norris liderou o quinto e chegou a dar pinta de que levaria o sétimo também. A equipe apostou as fichas em voltas em ritmo de classificação com o pneu C5, como se viu nesta quinta-feira (28) com o estreante britânico. Norris, aliás, já admite: depois de tantas voltas rápidas, a equipe alaranjada ainda não tem muita velocidade a mais para apresentar.
 
Lando prometeu uma equipe ainda mais rápida no GP da Austrália, primeiro da temporada 2019, mas certamente sem grandes saltos de performance.
 
“Não vamos melhorar segundos, mas ainda temos alguns décimos”, disse Norris em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO. “Isso é tanto por causa do carro quanto por mim. A gente certamente pode ir mais rápido. Não estamos longe do nosso potencial. Ainda temos trabalho por fazer e aí vamos conseguir encontrar mais ritmo. Em termos de ver onde estamos, acho que foi um bom ponto de referência”, continuou. 
 
O ponto de referência de Norris é o tempo de 1min17s084, terceiro melhor no sétimo dia de testes. Na briga para ver quem ia melhor com o composto mais macio de todos, todavia, a McLaren não saiu vitoriosa: Charles Leclerc teve 0s8 de vantagem pela Ferrari e liderou, enquanto Alexander Albon foi 0s2 melhor pela Toro Rosso.
Lando Norris parece ter tirado quase tudo que o MCL34 pode oferecer (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Mais do que números, a pré-temporada de Norris, agora encerrada, trouxe experiência para um piloto que sobe para a F1 após um único ano de F2. A experiência em Barcelona, aliada a treinos livre em 2018 e a teste pós-temporada em Abu Dhabi, colocou o novato em posição melhor.
 
“Eu me sinto preparado”, afirmou. “Se eu pensar em quão preparado estava antes dessas duas semanas e como estou agora, estou em uma posição muito melhor. Em termos de coisas que eu preciso fazer para conquistar um bom resultado em Melbourne, se a oportunidade aparecer... Nesse sentido me sinto muito mais confiante. Sinto que posso dar conta do recado quando chegar a primeira corrida”, apontou.
 
“Minha primeira corrida certamente vai ser um grande momento. Não sei o que vou pensar depois. Depende ser o resultado vai ser ótimo ou não tão ótimo. Espero que seja a primeira opção. Só quero tirar a primeira corrida do meu caminho e ganhar confiança para a primeira metade da temporada”, encerrou.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.