Novo diretor da Sauber espera clara melhora em relação a 2016 e confessa: “Logo começaremos o conceito de 2018”

Jörg Zander, ex-Audi no Mundial de Endurance e novo diretor-técnico da Sauber, deixou claro que a equipe de Hinwil não espera milagres ou grandes mudanças em 2017. Sua grande expectativa por enquanto é por implementar uma nova filosofia. Em seguida, o conceito de 2018, quando, aí sim, terá na pista um projeto totalmente supervisado e pensado por ele

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O novo diretor-técnico da Sauber não esconde: seu principal objetivo é levar 2017 da melhor forma possível, talvez com uma surpresa impulsionada pelas novas regras, mas quer mesmo que 2018 chegue no horizonte. É só no ano que vem que terá um projeto conduzido por si mesmo, então é onde está a maior expectativa. Vindo do WEC, da Audi, Jörg Zander é quem tem a tarefa árdua de tirar a Sauber do final da fila da F1. 

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Segundo Zander, o primeiro objetivo é ser melhor que em 2016. Em tese, não é muito complicado, visto que a Sauber só marcou dois pontos na temporada: com o nono posto de Felipe Nasr no GP do Brasil, penúltima corrida do ano. Mas, na realidade, a equipe suíça lida com uma verdade inconveniente: a Renault dificilmente seguirá em seu nível, a Haas está trabalhando para 2017 há quase um ano e a Toro Rosso tem motores novos, atuais. Além disso, a falência da Manor faz com que a Sauber fique realmente ameaçada de passar o ano todo andando nas últimas colocações do grid.

 
Quais, então, os maiores objetivos de Zander em sua primeira temporada como diretor-técnico na F1? "Quero ver uma clara melhora comparada à temporada passada. Nosso objetivo é estabelecer no meio do pelotão", disse em entrevista concedida para o site oficial da Sauber. 
 
"Na comparação com o ano passado, queremos implementar e desenvolver um plano para toda a temporada, mas temos que ser realistas quanto às referências: as nossas estão num nível mais baixo que as dos outros. Estamos num plano com o C36 e otimistas de que nosso trabalho está na direção certa. No momento é impossível fazer qualquer previsão ou comparação com nossos competidores por conta das regras", afirmou o diretor.
Jörg Zander, diretor-técnico da Sauber (Foto: Audi)
Zander também quer conseguir fazer pegar uma nova filosofia de trabalho em sua equipe.
 
"Em geral, 2017 será um ano importante para nós. Não são procedimentos [a nova filosofia] que possam ser implementados por leitura ou instruções – são ajustes individuais em que atributos humanos e culturais têm um papel. A equipe precisa aceitar as mudanças e ficar confortável sob as novas circunstâncias. Isso leva tempo", seguiu.
 
Ainda garantiu que logo estará às voltas com o projeto de 2018. O carro de 2017 será o foco óbvio para os primeiros meses do ano para que as novas regras sejam compreendidos, mas provavelmente será por pouco tempo.
 
"Junto com minha equipe técnica, vou começar com o conceito de 2018 logo. Não vai acontecer muito cedo porque queremos conduzir uma análise fundamental de onde estamos no começo da temporada 2017. Quero ter um bom time organizado com empregados motivados e satisfeitos, o que é algo que cria com surpresas na F1 de vez em quando. Quero ter a confiança e estabilidade de longo prazo. Do que vi até aqui, estou muito otimista que possamos atingir isto", encerrou.
 
A pré-temporada da F1 começa em 25 de fevereiro. 
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube