Opinião GP: após melhor atuação em 2012, Massa mostra que merece continuar na Ferrari

Soberbo em Yeongam, no último domingo (14), Felipe Massa consolida reação incrível e vira reforço da Ferrari na luta pelo Mundial de Construtores. Já o campeonato dos pilotos já parece mesmo ter dono: Sebastian Vettel

► Confira as melhores imagens do GP da Coreia do Sul

Se ainda pairava alguma dúvida de que Felipe Massa teria condições de seguir como piloto da Ferrari em 2013, esta já não existe mais. Alheio à confirmação da renovação do seu contrato com Maranello, que tudo indica estar em vias de ser anunciada, Felipe mostrou, no GP da Coreia do Sul, que faz por merecer ficar pelo menos mais um ano.

Dono de uma atuação digna de aplausos no último domingo (14), seguramente a melhor do ano — melhor até mesmo que sua performance em Suzuka, quando garantiu o segundo lugar da prova —, Massa consolida assim uma reação incrível e se coloca como a melhor opção para o futuro da Ferrari, ao lado do amigo Fernando Alonso. De quebra, Felipe vira reforço da esquadra italiana na luta pelo título do Mundial de Construtores, algo que parecia apenas um delírio no início do ano.

Na opinião dos jornalistas do Grande Prêmio, Massa teve, em Yeongam, sua melhor atuação no ano (Foto: Ferrari)

► Relembre: demolidor, Vettel vence GP da Coreia do Sul e dá passo decisivo rumo ao tri

O GP da Coreia do Sul também confirmou as expectativas que apontavam Sebastian Vettel como grande favorito à vitória em Yeongam. Novo líder da temporada, o alemão caminha a passos largos para se tornar o mais jovem tricampeão mundial da história ao reagir no momento mais crucial da temporada: aproveitando o grande desempenho do RB8, Vettel chegou à sua terceira vitória consecutiva e entrou para a história do esporte ao superar, em número de triunfos, ninguém menos que o mitológico Juan Manuel Fangio, o que não é pouco.

Do lado vermelho do ‘corner’, o desafiante Alonso tem feito o que é possível, mas ele mesmo sabe que é praticamente impossível hoje a Ferrari alcançar a Red Bull. Prova disso foi o resultado da corrida do último domingo. Sem ter condições de atacar Vettel ou Mark Webber, o asturiano só chegou em terceiro porque Massa, que estava bem mais rápido, tirou o pé e, obviamente, não passou Fernando, que ainda luta pelo campeonato. Fato é que a Ferrari não acompanhou o ritmo de atualizações da Red Bull, que parece ter descoberto a pólvora — ou o duplo DRS —, alçando Sebastian ao posto de grande favorito ao título. Mérito, mais uma vez, do incrível Adrian Newey.

No Opinião GP desta segunda-feira (15), os jornalistas do Grande Prêmio avaliam os resultados da etapa de Yeongam e os novos rumos do Mundial, agora comandado por um Vettel cada vez firme na luta pelo tri.

Em sua análise do GP da Coreia do Sul, Fernando Silva, editor do Grande Prêmio e da Revista Warm Up, entende que a Ferrari acerta caso confirme as expectativas e assine a renovação de contrato com o brasileiro. “Massa provou, mais uma vez, porque merece ficar pelo menos mais um ano na Ferrari. Em uma reação incrível na temporada, Felipe virou o jogo que parecia já estar decidido contra si, trabalhou como um louco, assimilou melhor o comportamento do carro e dos pneus, sempre respaldado pela cúpula de Maranello.”

“Os resultados vieram. E como vieram. Depois de um pódio épico em Suzuka, Felipe coroa sua reação com, talvez, sua melhor corrida no ano. O fato de ter andado durante toda o GP da Coreia do Sul mais rápido que Alonso — só não ultrapassou o bicampeão porque este ainda luta pelo título, cada vez mais longe, diga-se —, somente evidencia que, dentre as opções na mesa de Maranello, Massa é, disparado, a melhor delas. Acerta a equipe italiana em optar por Felipe, que faz por merecer assinar sua renovação  e ainda um reforço na sua luta pelo Mundial de Construtores. Ontem a Ferrari passou a McLaren e é a nova vice-líder do campeonato.”

Reação de Massa ajuda Ferrari na luta pelo título do Mundial de Construtores (Foto: Ferrari)

Se o momento é dos melhores para Massa, Bruno Senna vive sua fase mais complicada na temporada, justamente no momento em que está em jogo seu futuro na Williams. “Tá difícil a vida do Senna-sobrinho. Sem pontuar desde o GP da Itália, Bruno vem tendo muita dificuldade para conseguir bons resultados. E são somente os resultados que poderão lhe garantir na Williams em 2013. O carro, é verdade, também não ajuda. A julgar somente pelo GP da Coreia do Sul, nem mesmo o ótimo Pastor Maldonado se achou. 14º e 15º para o time de Grove não é nada animador. Senna precisará de uma reação como a de Massa se quiser pensar garantir seu futuro na F1”, opinou Silva.

Flavio Gomes, diretor da Agência Warm Up e do Grande Prêmio, a corrida foi disputada em uma “pista chata, abandonada durante o ano, num lugar ermo, afastado, desabitado. O resultado é que a corrida foi igualmente chata e só serviu para mudar o líder do campeonato, algo que aconteceria mesmo se ela fosse disputada em volta do Pacaembu”, avaliou o jornalista, que também já considerava a vitória de Vettel como favas contadas.

Para Fernando Silva, a corrida foi vencida no melhor estilo Sebastian Vettel: domínio do início ao fim. Ainda que não tenha sido um primor de espetáculo — vale lembrar que as arquibancadas de Yeongam ficaram, em sua maioria, bem vazias — a corrida reservou bons destaques além da performance de Massa. “De fato, foi uma corrida bastante monótona, pelo menos lá na frente. Vettel dominou do início ao fim, não teve muita graça. Dá para colocar, como destaques positivos da prova, Nico Hülkenberg, que, ao que tudo indica, está mesmo de partida para a Sauber, e o bom momento dos taurinos de Faenza: Jean-Éric Vergne e Daniel Ricciardo levaram novamente a Toro Rosso à zona de pontuação”, analisou Silva.

“Como destaques negativos, o maior deles é, sem sombra de dúvidas, a McLaren. Incrível como a equipe desmoronou depois de Monza, onde parecia que poderia sim lutar pelo título contra Red Bull e Ferrari. Hamilton, se vivesse um bom momento, poderia colocar uma pimenta a mais neste fim de campeonato e seguir na luta pelo título com Alonso e Vettel. Mas sua fala após o fim do GP da Coreia, quando se arrastou e só chegou em décimo lugar, na bacia das almas, é sintomática: ‘Estou exausto’. De fato, Lewis parece mesmo estar é de saco cheio da McLaren”, opinou o jornalista interiorano.

Trabalho de Newey é fundamental para ascensão de Vettel rumo ao tri em 2012 (Foto: Red Bull/Getty Images)

Se Massa vive seu melhor momento na temporada, não dá para dizer o mesmo de Alonso. Não apenas pela perda da liderança do Mundial, mas principalmente pela perspectiva pessimista, já que, em teoria, Fernando não tem em mãos um carro para lutar, em condições normais, contra a Red Bull nas últimas quatro provas da temporada. “Que tristeza tem sido este restinho de campeonato para Alonso. Vettel ganhou a terceira seguida e finalmente passou o espanhol. Abriu seis pontos e agora, desconfio, não larga mais o angu”, escreveu Gomes.

Para Flavio, o grande mérito da Red Bull está, mais uma vez, no grande trabalho de um gênio da aerodinâmica. “Adrian Newey inventou alguma coisa que está funcionando muito bem nesta reta final, fazendo Vettel lembrar os bons tempos do ano passado, em que chegava aos autódromos para fazer a pole e vencer, e qualquer coisa abaixo disso era considerado um resultado ruim. Hoje conseguiu sua quarta vitória do ano, terceira seguida e a 25ª na carreira. Passou a ser o sétimo maior vencedor da história, ao lado de Niki Luada e Jim Clark. Superou Juan Manuel Fangio, o que não é pouco. E para completar a alegria energética, Webber chegou em segundo.”

Evidente que não se deve jamais excluir a Ferrari e Alonso do páreo, mas, na opinião de Gomes, a partir dos últimos resultados e, principalmente, pela performance da Red Bull em comparação com a F2012, tudo indica que o jejum de títulos seguirá por mais uma temporada. “Alonso precisa de um milagre. Em condições normais, o alemão leva. Difícil imaginar que a Ferrari dará um salto de qualidade tão brusco agora. O consolo para Maranello é que a McLaren desandou de vez e a Lotus estancou.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube