carregando
F1

“Otimista, mas realista”, promotor do GP do Canadá espera decisão dias após Páscoa

Em entrevista publicada pela revista britânica ‘Autosport’, François Dumontier pediu “de duas a três semanas” antes de definir, em conjunto com a F1, sobre o futuro do GP do Canadá, agora a primeira etapa programada da temporada 2020 e prevista para 14 de junho. O promotor descartou a chance de realizar a corrida em meados de outubro, sobretudo por razões climáticas

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

O adiamento do GP do Azerbaijão — ainda sem nova data prevista —, em razão da pandemia do novo coronavírus, colocou o GP do Canadá como a bola da vez na F1. A etapa marcada para Montreal, no Circuito Gilles Villeneuve, em 14 de junho, é a que desponta como possível prova de abertura da temporada 2020. François Dumontier, promotor do evento, se mostra “otimista, mas também realista” sobre a possibilidade de realizar a corrida. O dirigente aguarda a decisão para depois da Páscoa, marcada neste ano para 12 de abril.
 
“Como você pode imaginar, estou conversando quase todos os diascom a F1. Também estou discutindo com as autoridades daqui, com a cidade e o governo. Ainda está no calendário, conforme planejado. Estamos otimistas, mas também realistas”, declarou Dumontier em entrevista à revista britânica ‘Autosport’.
 
“Ainda temos diria duas ou três semanas pela frente, antes de começarmos a erguer as arquibancadas e preparar o lugar", explicou.
O GP do Canadá segue marcado para 14 de junho (Foto: Mercedes)
Segundo comunicado publicado nesta semana pela F1, a categoria contempla um calendário com início já no verão europeu, ou seja, depois do dia 20 de junho, e com 15 a 18 corridas.
 
Dumontier lembrou que a decisão sobre o futuro do GP do Canadá para 2020 passa diretamente pelas restrições impostas pelo governo canadense para tentar conter o avanço do coronavírus no país. Atualmente, o Canadá registra 2.792 pessoas que testaram positivoe, além de 27 mortos e 110 pessoas recuperadas de acordo com os últimos números atualizados pela universidade norte-americana Johns Hopkins.
 
“Ontem (24), aqui em Québec, nosso primeiro-ministro pediu que todas as empresas não-essenciais fechassem até 13 de abril. Portanto, atualmente não podemos trabalhar na pista. Minha equipe, que organiza a corrida, trabalha em casa desde a última semana. Portanto, ainda temos duas ou três semanas pela frente antes de tomarmos uma decisão”, disse.
 
Ciente de que o adiamento é uma possibilidade muito plausível, Dumontier contou que trabalha com outras datas alternativas. Mas lembrou que, sobretudo em razão do clima, vai ser impossível realizar o GP do Canadá pouco antes do GP dos EUA, prova marcada para 25 de outubro.
 
“Espero que possamos fazê-lo na data, tornando-se assim a primeira corrida da temporada. Mas, ao mesmo tempo, estou trabalhando em diferentes cenários para adiar o evento. Para nós, digamos que depois de meados de outubro é impossível realizar a corrida”, declarou.
 
Por fim, Dumontier lembrou que, por mais que exista o desejo de levar adiante a corrida, o mais importante neste momento é a saúde de todos os envolvidos.
 
“Seria muito azar não poder realizar o evento. Posso entender que a F1 precisa olhar para a situação geral em todo o mundo. Mas, se formos para lá, vamos trabalhar para 2021. Como disse, somos otimistas, mas, ao mesmo tempo, somos realistas e lúcidos. Precisamos avaliar a situação por quase uma hora. Ainda temos duas ou três semanas pela frente. Se precisarmos adiar o evento, então o faremos, porque, se fizermos o evento, precisaremos fazê-lo em um ambiente seguro para pilotos, espectadores e trabalhadores de todo o mundo”, concluiu.
Paddockast #53
TÉO JOSÉ - O HOMEM QUE 'NÃO PERDE MAIS'


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.