F1

Outra vez atrás de Alonso, Vandoorne se diz “aliviado” após última classificação na F1 em Abu Dhabi

Stoffel Vandoorne ficou atrás de Fernando Alonso em cada um dos 21 treinos classificatórios de 2018. O belga reconhece que “não esteve na melhor forma” em voltas rápidas e fica até feliz por não precisar mais fazer classificações na F1
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Stoffel Vandoorne (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Stoffel Vandoorne disputou neste sábado (24) sua última classificação – ao menos por enquanto – na Fórmula 1. O belga conseguiu o 18º melhor tempo, completando uma temporada inteira de derrotas contra Fernando Alonso em voltas rápidas. Para Vandoorne, a sensação nem é de tristeza, e sim de alívio.
 
O alívio se deve às dificuldades da McLaren em classificação. Vandoorne até se diverte com o carro, mas admite que não foi possível fazer um bom trabalho aos sábados durante 2018.
 
“Eu fico aliviado, para ser sincero. Não estivemos na nossa melhor forma durante o ano inteiro”, disse Vandoorne. “Hoje eu me diverti e acho que amanhã, a última corrida, vai ser para tentar fazer o melhor possível. Eu me diverti e é isso que importa. Esse ainda é um carro legal de pilotar, mesmo que ver a classificação final depois é algo difícil de curtir. Me diverti e tentei meu melhor. Amanha tenho a última corrida, que eu só quero aproveitar do jeito que der”, continuou.
Stoffel Vandoorne teve desempenho ruim em voltas rápidas em 2018 (Foto: McLaren)
2018 termina com o inglório registro de 21 derrotas para Alonso em 21 treinos classificatórios. Contando 2017, são 26 GPs seguidos sem superar o espanhol – a última vez foi no GP da Malásia do ano passado.
 
Vandoorne deixa a McLaren após duas temporadas completas de altas expectativas, mas pouco brilho. O belga foi trocado por Lando Norris, novo prodígio da equipe que causou boa impressão na temporada 2018 da F2. A nova aventura é a FE, onde Stoffel passa a representar a HWA, equipe satélite da Mercedes.
 
“É triste me despedir de tantas pessoas com quem eu trabalho. Por outro lado, fico animado para o futuro. Começar a trabalhar em um novo ambiente, com novas pessoas, é algo completamente diferente. Mesmo assim, estou ansioso para isso”, encerrou.