Pai de Verstappen admite que “foi duro” e defende: “Max foi capaz de suportar tudo”

Jos Verstappen não demorou a perceber o talento natural de Max com carros de corrida e tratou de cuidar da carreira do filho nos tempos de kart. Apesar de se valer de uma abordagem rígida, o holandês acredita que fez o que era necessário para ajudar o agora bicampeão a alcançar a excelência

Jos Verstappen esteve diretamente ligado à formação de Max como piloto e não é segredo que exigiu muito para que o filho atingisse a excelência de hoje. No entanto, o holandês acredita que a abordagem adotada – principalmente na época do kart – não o tornou um pai ruim.

Ao documentário ‘Anatomy of a Champion’, lançado pela Viaplay, Jos defendeu seu ponto de vista, alegando que “muita gente não sabe” o que é um esporte de alto nível e que Max conseguiu enfrentar todas as adversidades sem maiores problemas.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Tem gente que fala que eu sou um péssimo pai porque abusei do meu filho, nunca abusei dele. Eu o criei, fui duro com ele. Esse era o meu plano, muitas pessoas não imaginam o que é preciso para chegar ao nível absoluto de um esporte”, relembrou o ex-piloto com 107 largadas na Fórmula 1.

JOS VERSTAPPEN; MAX VERSTAPPEN; GP DA INGLATERRA; SILVERSTONE; RED BULL;
Jos Verstappen foi fundamental para a escolha profissional de Max (Foto: Mark Thompson/Getty Images/Red Bull Content Pool)

“Normalmente, não sou um cara que gosta de se abrir sobre esse tipo de coisa, mas acho que isso dá a você um pouco mais de percepção de como todos viveram naquele período. Sei que não sou a pessoa mais fácil de se trabalhar e exigi muito de Max. Mas ele foi capaz de suportar tudo. Ele sempre foi mentalmente muito forte”, admitiu Jos.

Max Verstappen chegou à F1 aos 17 anos muito em função da mentoria do pai, é verdade. Mas o agora bicampeão relembrou que, apesar de Jos perceber seu talento natural desde cedo, nunca admitiu que ele ganharia o título algum dia. “Meu pai nunca disse que eu seria um campeão. Ele sempre foi o oposto, ele me dizia que eu ia ser caminhoneiro ou motorista de ônibus. Ele sempre foi, no bom sentido eu acho, me fazendo perceber que o que eu estava fazendo na época não era suficiente”, reconheceu o titular da Red Bull.

Apesar de ser grato pelos ensinamentos mais rígidos, Max diz que não pretende repetir a dose com seus filhos, caso eles queiram seguir pelo mesmo caminho. “Eu definitivamente quero filhos e se eles quiserem correr, tudo bem. Acho que faria diferente de como meu pai e eu lidamos com isso. Realmente não vejo isso no momento. Mas para mim, é fácil falar porque não tenho filhos. Talvez eu pense de forma muito diferente quando chegar a hora. Mas a paixão que ele teve foi muito grande”, disse Max.

“Ele fez tudo por mim. Ajustando motores, preparando karts. Não me vejo fazendo isso. De qualquer forma, não vou forçar meus filhos a correr. Eles têm que querer eles mesmos”, finalizou o holandês.

Verstappen lidera o campeonato da Fórmula 1 em 2023 e desponta como o favorito a vencer e alcançar o terceiro título na carreira. A principal categoria do esporte a motor retoma suas atividades no dia 30 de abril, com o GP do Azerbaijão.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.