Pai de Stroll cogita comprar marca e rebatizar Racing Point como Aston Martin

Segundo o site britânico ‘RaceFans’, Lawrence Stroll quer aproveitar a queda do valor das ações da Aston Martin para adquirir o controle acionário da marca e, assim, dar um novo nome à sua equipe na F1, a Racing Point. Atualmente, a Aston Martin é a principal patrocinadora da Red Bull e está envolvida no projeto dos hipercarros para entrar no Mundial de Endurance a partir de 2021

A Racing Point pode ter um novo nome. A equipe baseada em Silverstone, que graças ao consórcio liderado por Lawrence Stroll adquiriu o espólio da antiga Force India e permaneceu no grid da F1, tem a possibilidade de ser rebatizada como Aston Martin no futuro. Segundo o site britânico ‘RaceFans’ e a revista ‘Autocar’, o bilionário canadense foi vinculado a uma compra de ações da tradicional marca de carros de luxo.
 
Segundo a publicação, o patrimônio de Stroll é estimado em cerca de R$ 11,5 bilhões. Lawrence não teve problemas para liderar o consórcio responsável por comprar a Force India e, de quebra, garantir uma vaga para o filho, Lance Stroll, na temporada 2019 da F1 e além, oferecendo um cockpit bem mais competitivo em relação à Williams, onde esteve no ano passado.
Pai de Lance, Lawrence Stroll planeja outro movimento para fortalecer sua presença na F1 (Foto: Reprodução)
Lawrence planeja tirar proveito de uma queda brusca das ações da Aston Martin, que passaram a ser negociadas na bolsa de Londres no ano passado. Com perdas registradas no valor de R$ 443,2 milhões nos seis primeiros meses de 2019, segundo o ‘RaceFans’, o lote de ações despencou de R$ 105 para somente R$ 27,7.
 
A ideia de Stroll é fazer com que o novo carro, já rebatizado como Aston Martin, tenha como cor predominante o chamado ‘british green’, o verde tradicional que caracteriza os carros da tradicional marca britânica. Tudo isso na esteira de um processo de ampliação da fábrica da equipe em Silverstone, capitaneado por Stroll e os altos investimentos feitos pelo empresário. Desde 2017, os carros da equipe, antes Force India e agora Racing Point, têm o rosa como cor predominante por conta do patrocínio da empresa austríaca de tratamento hídrico BWT.
 
Atualmente, a Aston Martin faz parte do grid da F1 como patrocinadora principal da Red Bull, estampando as tradicionais asas no aerofólio traseiro dos carros projetados por Adrian Newey. O projetista também faz parte do projeto do hipercarro Valkyrie, com o qual a Aston Martin vai disputar a nova principal categoria do Mundial de Endurance a partir de setembro de 2021.
 
Há pouco mais de três anos, a Aston Martin chegou a negociar justamente com a Force India, a antecessora da Racing Point, para uma eventual aliança que não chegou a se concretizar. A marca desistiu do acordo e partiu para os braços da Red Bull, onde está até hoje como principal patrocinadora da terceira força do Mundial de F1.

Paddockast # 44
RETROSPECTIVA 2019: MUITO QUE BEM, MUITO QUE MAL

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube