F1

Para correr em Abu Dhabi e evitar mesmo fim da Marussia, Caterham apela a crowdfunding de R$ 9,6 milhões

A Caterham não quer morrer como a Marussia e vai fazer uso do fundo popular, o crowdfunding, para pelo menos estar em Abu Dhabi e compor o grid da F1. A equipe pretende levantar quase R$ 10 milhões
Warm Up, de Interlagos / VICTOR MARTINS, de São Paulo
 Kamui Kobayashi (Foto: Getty Images)
A notícia do fim das atividades da Marussia na F1 ligou mais do que o alerta vermelho na Caterham. A equipe que fazia companhia tanto nas pistas quanto na situação financeira vai apelar a uma solução emergencial e final para tentar correr a etapa final do Mundial 2014 em Abu Dhabi enquanto procura um novo dono.

A Caterham lançou na tarde desta sexta-feira (7) um crowdfunding na internet para levantar durante uma semana £ 2,35 milhões — cerca de R$ 9,6 milhões — que garantam os custos para o embarque ao emirado e aumente o grid em dois carros. O mínimo da 'vaquinha' é de £ 10, R$ quase 41. Nas redes sociais, a equipe vai fazer uso da hashtag #RefuelCaterhamF1. 
A Caterham vive ou não? (Foto: Beto Issa)
Há uma razão clara para esta tentativa de última hora: é que o fim da Marussia a elimina do campeonato, e aí a Caterham passaria a ser a décima colocada no Mundial de Construtores e teria direito de receber a premiação correspondente. 

Os administradores legais no comando da Caterham acreditam que a equipe estará de volta no grid da F1 na corrida final da temporada após ficar de fora do GP dos Estados Unidos e deste fim de semana do Brasil. 

Finbarr O'Connell, um dos responsáveis pela administração da companhia esbanjou confiança falando sobre as chances da Caterham voltar à vida não apenas para mais uma corrida, mas para uma temporada. "Estamos extremamente confiantes de que iremos para Abu Dhabi. Na verdade, acho que eu posso dizer que ficaria muito surpreso se não estivermos em Abu Dhabi. Agora, estou realmente confiante pelo futuro do time", revelou.

Dias atrás, a FIA divulgou uma lista de inscritos em que aparecia o nome da Caterham para a temporada de 2015. Em cinco temporadas, a Caterham jamais conseguiu somar um ponto na categoria.
O MEDO DE VOLTA À F1


A luta de Jules Bianchi pela vida no Japão traz à tona os riscos da F1 e reacende as discussões para melhoria da segurança, mas deixa no ar uma sensação de dúvida e suspeita compartilhada pela mãe do piloto e por médicos ouvidos pela REVISTA WARM UP.

_ Único piloto que se recuperou de uma LAD, Roberto Guerrero fala em sorte
_ Cobertura do cockpit ainda apresenta ‘dificuldades técnicas’, avalia engenheiro


A reportagem completa está na REVISTA WARM UP.
GRANDE PRÊMIO no GP do BRASIL de F1

A extensa cobertura do GP do Brasil já começou GRANDE PRÊMIO, e ao longo de toda a semana você vai acompanhar um leque de informações e opiniões com o maior time de jornalistas especializados. Direto de Interlagos, Flavio Gomes, Evelyn Guimarães e Renan do Couto trazem tudo ao vivo e em tempo real a partir de quinta-feira. Victor Martins, Juliana Tesser, Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum, Vinícius Piva, Nathália de Vivo e Vitor Fazio acompanham os bastidores com a qualidade e a agilidade características do GP.

Vem com a gente.
Acompanhe tudo da F1 aqui no GRANDE PRÊMIO.