Para evitar confusão, chefe de equipe da Red Bull diz que pretende desistir de código ‘Multi 21’

Christian Horner contou que pilotos da equipe vêm enfrentando dificuldades para entender as ordens da equipe neste início de temporada e, por isso, vai abolir o ‘Multi 21’ e o ‘Multi 12’ de sua lista

No GP da Malásia, Christian Horner, chefe da Red Bull, chamou a dupla da equipe no rádio, acionou o já famoso código ‘Multi 21’ e pediu para que Sebastian Vettel e Mark Webber mantivessem as posições, com o australiano, no carro 2, à frente de colega de time, no RB9 de número 1. Sebastian, entretanto, não cumpriu a ordem e ultrapassou o companheiro no fim da corrida, pulando para o topo e vencendo a prova. 

Horner afirmou que vai pensar em novos códigos para usar nas corridas (Foto: Red Bull/Getty Images)

 
A desobediência gerou uma enorme polêmica após a etapa em Sepang, com o piloto do carro número 2 chegando a afirmar que usaria o intervalo até o GP da China para repensar sua carreira na equipe austríaca. Por isso, e para evitar novas confusões, Horner admitiu que deve acabar com os códigos internos, especialmente porque seus pilotos também não entendem as mensagens.
 
“O ‘Multi 21’ significa que Webber permanece à frente de Vettel. O ‘Multi 12’, entretanto, é o inverso, ou seja, Vettel na ponta. Ainda segundo Horner, não foi a primeira vez que a dupla enfrentou problemas de comunicação. No GP do Brasil, Webber entrou em disputa com o alemão, que brigava com Fernando Alonso pelo título.

"Não é complicado e não é difícil de entender, mas nossos dois pilotos não entenderam as nossas mensagens”, disse o diretor à Sky Sports. Acho que nós vamos ter que desistir desses códigos. Precisaremos tentar outra coisa”, finalizou Horner.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube