Para evitar especulações sobre futuro, Hamilton adota lei do silêncio em Cingapura

Lewis Hamilton não quis comentar sobre o futuro na entrevista coletiva em Cingapura. Assim, sobrou para Jenson Button falar para onde o companheiro de equipe deve ir. O inglês afirmou que, ao contrário do parceiro, nunca se incomodou com os boatos

Todo mundo quer saber onde Lewis Hamilton vai correr em 2013. Com propostas da McLaren e da Mercedes, o inglês ainda não anunciou os planos para o próximo ano, mas também não está disposto a alimentar o mistério. Nesta quinta-feira (20), em Cingapura, o britânico começou a entrevista coletiva justamente alertando os jornalistas de que não ia comentar as especulações sobre o futuro.

“Antes de começar, eu aviso que não vou falar sobre mais nada fora este fim de semana. Não tenho nenhuma novidade para vocês, então usem esse tempo de forma sábia para falar de outras coisas se vocês puderem”, declarou.

“Eu estou focado apenas neste fim de semana. A coisa mais importante é não ficar muito animado com o ritmo que tivemos na última corrida porque agora será diferente. Outras equipes estão dizendo que vão ter atualizações neste fim de semana, então espero ter alguém para combater”, completou Hamilton, desconversando sobre os rumores para falar apenas sobre a corrida.

Lewis Hamilton se recusou a falar do futuro na entrevista coletiva em Cingapura (Foto: Red Bull/Getty Images)

Se Lewis não quis revelar o futuro, sobrou para Jenson Button comentar a possível mudança do companheiro de equipe. O piloto afirmou que não costuma se incomodar com as diversas especulações e sempre ficou muito satisfeito em saber do interesse de mais de uma escuderia em seu serviço.

“Eu até que gosto disso”, revelou. “É bastante emocionante estar nessa situação. Eu nunca achei uma coisa ruim quando as pessoas me perguntavam onde eu ia correr. Quando você tem mais do que um interessado é sempre uma coisa boa como piloto”, acrescentou.

Button, no entanto, lembrou ter enfrentado problemas com as especulações quando foi alvo de uma disputa contratual entre William e BAR. “O único período difícil para mim foi entre Williams e BAR, mas era por razões diferentes. Quando as pessoas começam a falar se eu vou para uma equipe ou para outra nunca tive problemas com isso”, disse.

O inglês afirmou, ainda, que sempre gostou de ler jornais para saber onde estava sendo especulado. “Eu acho que isso é ótimo. Todos os dias eu leio os jornais e os sites porque todos nós fazemos isso, mesmo quando dizemos que não. Eu não sei o quanto de verdade tem nessas coisas. Não estou dizendo que vocês não escrevem sempre a verdade, mas há muitos interesses por aí. Há muitos boatos e essa é uma parte divertida da temporada para todos”, contou.

O piloto, por fim, afirmou que está satisfeito na McLaren porque queria um companheiro de equipe que servisse como referência.  “Eu mudei para a McLaren porque queria um companheiro competitivo e é sempre se avaliar. Em um final de semana, se você tem um bom dia e está na frente do seu companheiro, então isso significa muita coisa e realmente aproveita o momento”, disse.

“Quando você está atrás é frustrante, mas você respeita o fato de ele ter feito um trabalho melhor que o seu. É bom ter um companheiro competitivo. Essa é a coisa mais importante”, encerrou o inglês.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube