F1

Para tentar sair do buraco, Williams demite Coughlan e contrata Symonds para cargo de diretor-técnico

O engenheiro britânico, que ocupava o cargo de consultor da Marussia, assume a função no dia 19 de agosto. Ele foi um dos responsáveis pela manipulação do resultado do GP de Cingapura de 2008

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

A falta de resultados na temporada 2013 da F1 fez a primeira vítima na Williams. A escuderia inglesa anunciou nesta terça-feira (16) a contratação de Pat Symonds como novo diretor-técnico da escuderia. O engenheiro assume a vaga de Mike Coughlan, considerado culpado pelo fraco resultado do equipamento deste ano, no dia 19 de agosto.

O dono da escuderia, Frank Williams, elogiou a contratação de Symonds e disse que o britânico tem todas as ferramentas necessárias para reconduzir a equipe inglesa de volta ao caminho das vitórias.
Pat Symonds é o novo diretor-técnico da Williams (Foto: Marussia)

“Eu estou muito animado que Pat está se juntando à equipe. A capacidade técnica e o sucesso no esporte falam por si mesmos, e tenho certeza de que esse conhecimento e liderança vão contribuir consideravelmente para o sucesso que todos nós na Williams estamos trabalhando duro para alcançar”, disse.

Symonds, que estava atuando como consultor da Marussia desde 2011, agradeceu a oportunidade recebida e disse que o histórico da Williams em desenvolver soluções pioneiras na F1 o convenceu a aceitar o convite do time.

“A Williams é uma equipe de sucesso, que tem uma engenharia de excelência, por isso estou honrado em ter sido convidado a fazer parte do retorno dela ao seu lugar de direito no topo da F1”, disse. “Frank, Mike e Clair colocaram as fundações para o sucesso, e eu estou imensamente ansioso para começar este novo desafio”, afirmou.

Quem também celebrou a chegada do novo diretor foi o chefe-executivo do time, Mike O’Driscoll. O dirigente afirmou que a contratação de Symonds mostra a vontade da equipe em voltar a brigar por vitórias. “Nosso compromisso em fazer a Williams voltar a vencer está claro, e este acordo dá ainda mais evidências do nosso desejo coletivo de recolocar a equipe na posição que merece”, encerrou.

Symonds começou a carreira na F1 pela Toleman e foi engenheiro de pista de Michael Schumacher, na Benetton, durante o bicampeonato do alemão. Ele continuou na equipe, quando ela foi comprada pela Renault, e foi considerado um dos culpados pela manipulação do resultado do GP de Cingapura de 2008, quando Nelsinho Piquet bateu propositalmente para que Fernando Alonso vencesse a prova.