F1

Pérez fala sobre prova “no limite” no Azerbaijão para segurar ritmo da McLaren: “Estavam bem mais rápidos”

Sergio Pérez foi o “melhor do resto” no GP do Azerbaijão, chegando na sexta colocação. O mexicano falou sobre a prova praticamente sem erros que fez para impedir a aproximação das McLaren de Carlos Sainz e Lando Norris, que estavam mais rápidas e chegaram atrás do piloto da Racing Point

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
O sexto lugar no GP do Azerbaijão foi o melhor resultado de Sergio Pérez na Fórmula 1 em 2019. O mexicano da Racing Point largou em quinto e foi superado apenas por Max Verstappen durante a corrida, conseguindo um feito que o colocou na sexta posição no Mundial de Pilotos.

Em entrevista ao site da revista britânica 'Autosport', Pérez contou que a sua maior preocupação na corrida foi com o ritmo de Carlos Sainz Jr. e Lando Norris, pilotos da McLaren que estavam muito fortes e colocaram o mexicano sob pressão, mas acabaram terminando em sétimo e oitavo respectivamente.

"Estive bem nas primeiras voltas, na frente do Verstappen. Passei ele na largada, mas entendemos que não era nossa corrida. Estava mais preocupado com as McLaren, porque eles estavam muito fortes e me pressionaram bastante", declarou "Estive no limite durante toda a corrida apesar das últimas voltas, foi uma corrida que nos exigiu muito. Sem erros, sem travar pneus, e foi o único jeito de segurar os carros da McLaren, eles estavam bem mais rápidos que nós", completou.

Chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer‎ celebrou o bom desempenho do time em Baku. Além do sexto lugar de Pérez, Lance Stroll também somando pontos, ficando com a nona posição após largar em 13º.
 
"Se você olhar o que aconteceu na nossa frente, acho que extraímos o máximo possível da nossa posição no grid", disse Szafnauer. "Os carros mais rápidos chegaram na nossa frente. Sergio foi o sexto, Lance fez um ótimo trabalho conquistando pontos após largar em 13º, foi muito bom. Acertamos tudo", completou.

Com os dois carros na zona de pontuação pela primeira vez na temporada, a Racing Point pulou para a quinta colocação no Mundial de Construtores. Szafnauer celebrou o bom desempenho no Azerbaijão, mas citou que o time precisa de melhoras no equilíbrado pelotão intermediário.
 
"Nas últimas corridas, do sétimo ao 18º lugar na classificação, o espaço era de 0.3s, então é difícil saber onde você vai parar. Temos que lutar mais no pelotão intermediário. Ainda precisamos melhorar o carro, o que podemos fazer em Barcelona, e depois vemos ao longo do ano. Foi uma ótima corrida para desenvolvimento", concluiu.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.