Pérez fica feliz por 14 pontos da Force India no Japão. Mas garante que só ficou atrás de Ocon por ordem de equipe

Depois de algumas corridas em que Sergio Pérez e Esteban Ocon causaram problemas ao brigarem entre si, no Japão a abordagem foi diferente. A Force India segurou os dois nas posições em que estavam, mas Pérez tem certeza de que poderia ultrapassar Ocon em Suzuka

O lugar de melhor equipe atrás da 'divisão superior' de Mercedes, Ferrari e Red Bull foi facilmente mantido pela Force India no GP do Japão deste domingo (8). Esteban Ocon largou muito bem e chegou a andar na terceira colocação, mas depois contou com decisão da equipe para se segurar à frente de Sergio Pérez. O mexicano saiu um tanto incomodado, mas Ocon terminou animado por ter estado no top-3 – ainda que sem ter como segurar quem vinha atrás.

 
Pérez comemorou o resultado para a equipe, que terminou com um P6 e um P7, mas mostrou claro incômodo com o fato de ter terminado atrás do companheiro uma vez que tinha velocidade o bastante para brigar com o francês. Não reclamou, porém.
 
"Tínhamos um bom ritmo numa corrida relativamente fácil. Depois da parada nos boxes nos deram uma ordem para manter as posições e assim foi. Sem a ordem, teria passado Esteban, especialmente na segunda relargada após o safety-car virtual. Mas estou feliz porque foi um grande resultado para a equipe", disse.
 
"Já tinhamos feito um acordo quanto a esse tipo de ordem. Nosso ritmo era parecido, mas na relargada pós-safety-car virtual, se não tinha como eu passar, que ele tivesse ido mais rápido. Acho que eu podia terminar na frente, mas foi um grande resultado para a equipe", encerrou.
 
Ocon, por sua vez, assumiu que era impossível segurar os carros de Mercedes, Ferrari e Red Bull, apesar do esforço que fez a partir do momento em que alcançou a terceira posição 
Sergio Pérez (Foto: Force India)
“Alcançamos o máximo que era possível para hoje. Eles estavam rápidos demais para que eu pudesse segurá-los. Consegui passar Ricciardo na largada, mas depois de sete ou oito voltas, quando os pneus começaram a ficar degradados, tive que deixá-los passar, como também foi com Bottas”, disse o francês. 
 
“Mas tudo bem, o plano passou a ser acabar a corrida nessa posição e consegui”, completou.
 
Sobre a ultrapassagem em Ricciardo, Ocon lamentou não ter chances de brigar com Verstappen apesar da ótima manobra. “Tive uma boa saída e me mantive bem. Fui para cima de Daniel [Ricciardo] na segunda curva pois tinha uma boa posição. A partir de então tentei ir atrás de Verstappen, mas eles são um pouco mais rápidos. É esse pouco que temos que melhorar.”
A F1 volta em duas semanas, 22 de outubro, para o GP dos Estados Unidos de F1. GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 em Austin AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.
HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube