F1

Pérez ressalta nível e velocidade de Stroll, mas diz que “o que mais me surpreendeu foi seu feedback”

Sergio Pérez está surpreso com o modo de trabalho de Lance Stroll. O mexicano falou um pouco sobre seu novo companheiro, dizendo o quão rápido ele é, mas ressaltou especialmente os bons feedbacks que consegue transmitir para a Racing Point
Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Sergio Pérez se mostrou bastante satisfeito com as primeiras impressões que teve com Lance Stroll. O mexicano ressaltou as qualidades do novo companheiro de Racing Point, frisando o bom feedback que o piloto é capaz de fornecer.
 
O canadense fez sua estreia na F1 com a Williams em 2017, conseguindo um pódio no GP do Azerbaijão. Entretanto, em 2018, sofreu com o baixo desempenho da esquadra de Grove e não conseguiu alcançar bons resultados – terminou o ano em 18º com seis pontos.
 
Neste ano, vai fazer sua estreia na Racing Point após seu pai, Lawrence, assumir o comando da equipe. E já nos primeiros trabalhos com Pérez, Stroll tem impressionado o colega. “Estou surpreso por seu nível, sua velocidade”, falou.
 
“Mas a coisa que mais me surpreendeu, para ser honesto, é seu feedback. Você não costuma ver isso em pilotos jovens”, seguiu.
Lance Stroll (Foto: Racing Point)
“Nos dias de hoje, eles são muito bem preparados, mas por conta da falta de experiência, os vê darem o feedback e você diz ‘ah, falta um pouco de experiência no carro’, mas com ele tenho ficado surpreso. Acredito que ele pode guiar bem a equipe” completou.
 
Sergio seguiu seu discurso dizendo que a baixa competitividade da Williams tornou a vida de Lance mais difícil na F1. “A coisa é que as pessoas esquecem... Se eles te veem em último na Fórmula 1, pensam que você é realmente ruim, mas 95% é do carro. Então é muito difícil julgar alguém com um carro ruim.”
 
Por fim, Pérez disse que não vai mudar sua abordagem em relação ao novo companheiro. “Estou aqui para fazer o meu melhor. Superei todos os companheiros que enfrentei. Então quero fazer o mesmo com Lance”, disse.
 
“É minha obrigação fazer isso. Caso eu não fizesse isso, acredite, eu não estaria aqui. Estou aqui pela motivação, estou aqui para entregar e se não tiver essa abordagem, melhor ficar em casa”, encerrou.