Pérez-Sala sonha com primeiro pódio da HRT na F1: “Confio que isso vai acontecer um dia”

Luis Pérez-Sala participou ativamente da reestruturação da HRT nos últimos meses, mas sabe que o trabalho para superar os concorrentes não será dos mais fáceis nos próximos anos, quando terá que enfrentar uma mudança no regulamento

Luis Pérez-Sala é a grande cabeça por trás do projeto da HRT na F1 após a mudança de dono. Neste ano, a equipe deu outro importante passo para estabelecer-se na categoria e finalizou a mudança da sede para Madri, na Espanha. Fazendo um balanço da atual temporada, o dirigente se mostrou orgulhoso do trabalho feito até aqui.

“Estou orgulhoso do trabalho, porque começamos o ano partindo do zero. Tivemos que fazer um carro novo, não tínhamos sede e substituímos 80% da equipe. Era um desafio impossível e nós conseguimos”, disse Pérez-Sala ao site ‘20minutos’.

Pérez-Sala admite que desenvolvimento da HRT está atrasado, mas confia em recuperação (Foto: HRT)

Com Marussia e Caterham como principais concorrentes, ele admite que o desenvolvimento da equipe está atrasado com relação aos rivais, mas espera que isso mude em 2013 para que 2014, quando acontece a mudança do regulamento, a HRT entre forte no campeonato.

“Estamos dois anos atrasados com relação a eles e precisamos de mais tempo. Caterham e Marussia estão evoluindo desde 2009, enquanto nós estreamos nossa sede em abril e o chefe de design chegou em junho. Antes nós estávamos totalmente terceirizados. Não dá para aprender inglês em um dia, mesmo estudando 24 horas”, explicou.

“O objetivo é nos preparamos bem para 2014, quando haverá uma grande mudança. Em 2013, esperamos sem mais competitivos. Será um carro totalmente desenhado da nossa sede, a Caja Mágica”, continuou.

Além de Pedro de la Rosa, o outro espanhol do grid é Fernando Alonso, vice-líder do campeonato e piloto da Ferrari. Pérez-Sala até sonha com o piloto na equipe, mas sabe que é praticamente impossível. “Alguma melhora nos tempos nos daria chance, mas continuaríamos atrás”, contou.

“Ele não nos ajudaria a ganhar corridas, mas faz isso na Ferrari. Isso é ser um grande piloto. Messi não ganharia a Liga dos Campeões jogando em uma equipe da segunda divisão. No mais, o trabalho de um piloto fora da pista é muito importante e é exatamente o que Pedro está fazendo conosco”, afirmou.

O dirigente aproveitou para confirmar a permanência do espanhol na equipe e disse que o companheiro de De la Rosa para 2013 ainda não está definido. “Pedro continua porque é fundamental para nós. Estamos satisfeitos com Narain Karthikeyan, ele é rápido e erra pouco, porém, nós não decidimos nada ainda”, disse.

Como todo chefe de equipe, Sala vislumbra ver sua equipe no pódio da F1, mas sabe que não será do dia para noite que isso vai acontecer. “Primeiro temos que pensar em pontuar, mas, devagar, confio que, algum dia, a HRT vai subir ao pódio. Esse é o nosso objetivo”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube