F1

Perto da despedida, Ericsson lamenta “final decepcionante” após melhor classificação na F1

Marcus Ericsson largou em 6° no GP do Brasil do último domingo (11), melhor classificação de sua carreira na F1, mas foi forçado a abandonar a corrida após problemas em sua Sauber. Assim, restou lamentar o final decepcionante de uma etapa que parecia promissora
Warm Up, de São Paulo / FELIPE NORONHA, de Interlagos
 Marcus Ericsson (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Se o sábado (10) foi dos sonhos para Marcus Ericsson em Interlagos, o domingo foi de tristeza. O sueco, que havia feito o melhor treino de classificação em sua carreira na F1, não conseguiu sustentar a sexta colocação no GP do Brasil por muito tempo.

Com problemas no assoalho de sua Sauber, Ericsson despencou para 10° logo na primeira volta, seguiu caindo, até que abandonou na volta 22.

Desta forma, restou ao sueco externar sua infelicidade com o resultado após a corrida: "Um final decepcionante para um final decepcionante muito bom", disse.
Marcus Ericsson (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
"Tive problema no assoalho e ainda estamos investigando o que realmente aconteceu. Reparamos no grid, mas é difícil dizer se deu certo", continuou.

O sueco explicou qu tudo piorou depois de ser tocado por outro carro na largada: "Depois disso foi difícil conduzir o carro. O dano piorou tudo de vez. Tivemos que abandonar a corrida e foi uma pena, especialmente depois de uma classificação tão fantástica", finalizou.

Ericsson acabou zerando a corrida, enquanto viu seu companheiro de Sauber Charles Leclerc ficar em sétimo, o chamado "melhor do resto". O sueco se despede da F1 em Abu Dhabi, já que tem acerto para correr a temporada 2019 da Indy pela Schmidt-Peterson.