F1

Petrobras cogita “rever ou até mesmo interromper” acordo com Williams na F1, revela jornalista brasileiro

A Petrobras já cogita “rever ou até mesmo interromper” o contrato que possui com a Williams na F1 para a temporada 2015. A informação é do jornalista Americo Teixeira Jr., dono do Diário Motorsport e parceiro do GRANDE PRÊMIO

Warm Up / AMÉRICO TEIXEIRA JR., De Vinhedo
Embora o assunto esteja sendo tratado internamente de maneira sigilosa e não haja ainda uma decisão tomada, o Diário Motorsport , parceiro do GRANDE PRÊMIO, pode afirmar que a revisão – ou até mesmo a interrupção – do contrato com a equipe Williams na F1 está na pauta de assuntos pendentes nesse início de 2015 na Petrobras. Não que a presença da petrolífera brasileira na categoria esteja ameaçada pelos atuais solavancos políticos e econômicos, mas uma questão pontual de ordem técnica teve o poder de colocar o acordo numa vasta planilha de ações que estão sujeitas a revisão.

Em que pesem as questões promocionais e o apoio a pilotos brasileiros, o desenvolvimento e o fornecimento de produtos sempre foram os principais alicerces da Petrobras na principal categoria do automobilismo mundial. De tão estabelecidos na cultura da empresa, foram ratificados na adoção do presente contrato com a equipe inglesa. O ponto principal do atual projeto é a gasolina Grid, que, uma vez utilizada pela Williams-Mercedes, proporcionaria uma fantástica plataforma de marketing.
Petrobras cogita rever contrato com a Williams (Foto: Getty Images)
O problema é que as áreas técnicas da Petrobras ainda não conseguiram produzir gasolina e lubrificante no mesmo nível do fornecido pela malaia Petronas, a atual parceira da Mercedes. Os produtos da petrolífera continuam garantindo melhor desempenho aos motores dos atuais campeões mundiais. Dessa forma, não há como a empresa brasileira fornecer a gasolina Grid para a Williams na temporada 2015, o que inviabiliza todo o programa de comunicação.

Leia a reportagem completa no Diário Motorsport.
RICCIARDO VÊ MERCEDES JÁ NO TOPO E ACHA QUE RED BULL ALCANÇA EM 2015

Daniel Ricciardo fez uma grande temporada em 2014, mas a Red Bull não entregou a ele um carro que desse condições de conquistar o título mundial. Em 2015, Ricciardo crê que a Mercedes não tem mais o que melhorar, enquanto Red Bull ainda tem muito onde evoluir. Portanto, o piloto acredita que a diferença entre as duas irá diminuir bastante 

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.
CHEFÃO DIZ QUE FIA ACERTOU AO EXCLUIR F-E DOS CRITÉRIOS PARA OBTENÇÃO DA SUPERLICENÇA NA F1

Alejandro Agag, diretor-executivo da F-E, afirmou que a FIA fez uma escolha lógica, quando optou por não colocar a categoria dos carros elétricos entre os campeonatos que podem beneficiar um piloto na obtenção da superlicença na F1

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO
MUITO AJUDA QUEM...

Desde o fim de 2011, é pelo sobrenome Wolff que a escocesa Susie atende. Antes, ela era conhecida como Susie Stoddart, a pilota da Mercedes no DTM. A mudança de nome se deu pelo casamento com Toto Wolff, o chefão da mercedes na F1, e o empresário austríaco acredita que tem mais atrapalhado do que ajudado na carreira da esposa. Ao falar da relação com Susie à revista francesa ‘Auto Hebdo’, o dirigente disse que não gosta de vê-la sendo chamada de 'a esposa do Toto Wolff’ e admitiu que ela já foi prejudicada pela associação.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.