Pirelli aborta mudanças nos pneus e anuncia escolha para GPs de Inglaterra, Alemanha e Hungria

Em comunicado nesta quinta-feira, a Pirelli confirma que não realizará mudanças na construção dos pneus porque não encontrou apoio unânime por parte das equipes. A fornecedora italiana anunciou também as escolhas para os próximos três GPs da temporada

A pressão de boa parte das equipes do grid contra a mudança na construção dos pneus surtiu efeito, e a Pirelli anunciou, nesta quinta-feira (13), que não fará qualquer alteração para as próximas corridas da temporada. Por meio de um comunicado enviado à imprensa, a fornecedora italiana alegou que não houve apoio unânime por parte dos times da F1 e também porque não houve tempo para testar os novos compostos nos treinos livres de sexta-feira em Montreal.

Assim, a fornecedora de Milão admite sua derrota ao tentar mudar a construção dos pneus em nome da segurança, para evitar uma maior delaminação dos seus compostos. “A Pirelli anunciou os compostos P Zero slicks que serão adotados nos próximos três GPs na Grã-Bretanha, Alemanha e Hungria. A construção do pneu permanecerá inalterado, ao contrário do plano inicial da Pirelli”, disse a empresa em nota.
Sem apoio da maioria das equipes, a Pirelli voltou atrás e não fará mudanças na construção dos pneus (Foto: Getty Images)

“Esta decisão deve-se ao fato de que os novos pneus, que foram trazidos para a sexta-feira de treinos livres no Canadá, não puderam ser testados o suficiente por conta da chuva, e porque as equipes não chegaram a um acordo por unanimidade pela introdução dessas mudanças. Ao invés de uma mudança no processo de produção de pneus, agora a delaminação passou a ser abordada”, continuou a Pirelli.

Para o GP da Inglaterra, a Pirelli vai levar sua gama mais dura de pneus. Os compostos duros, identificados pela cor laranja, voltam à pista ao lado dos pneus médios, identificados pela cor branca. A decisão foi tomada pela fornecedora com base nas curvas de alta de Silverstone, que oferece grande desgaste à borracha italiana.

Já para o GP da Alemanha, que será realizado uma semana depois, em Nürburgring, a Pirelli optou pelos pneus médios e os macios. “Nürburgring é um circuito com uma variação de velocidades e curvas, mas com áreas de frenagem brusca. A abrasividade da pista é muito baixa, por isso a aderência mecânica dos pneus é necessária. Combinado com as condições climáticas, muitas vezes variáveis, isso torna os compostos macios e médios a melhor escolha para a icônica pista alemã”, defendeu a Pirelli.

E para a etapa da Hungria, a última da primeira parte da temporada, a Pirelli repetiu a escolha de Silverstone e levará para Hungaroring os pneus duros e médios. “A Hungria é o circuito permanente mais lento do calendário, mas exige demais dos pneus por conta do seu traçado sinuoso, o que significa que os pneus se movimentam muito mais do que em um circuito rápido. Isto combinado com as temperaturas frequentemente elevadas, fazem com que os compostos duros e médios sejam a melhor escolha para esta pista, levando em conta que os pneus deste ano são mais macios que a escala do ano passado em toda a nossa gama”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube