Pirelli prepara compostos mais agressivos para 2013 e promete “grande impacto na aerodinâmica”

Paul Hembery, diretor-esportivo da Pirelli, concedeu uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (8) e afirmou que os compostos de 2013 da F1 serão mais agressivos que os pneus atuais. Primeiro teste da nova borracha será em Interlagos

 

A temporada de 2012 da F1 está chegando ao fim e a preparação para o próximo ano segue a todo vapor. Se as regras da categoria não sofreram grandes alterações para o próximo ano, o mesmo não se pode dizer dos pneus. Paul Hembery, diretor-esportivo da Pirelli, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa brasileira no início da tarde desta quinta-feira (8) na sede da empresa italiana, em São Paulo, e contou que os pneus de 2013 serão mais agressivos do que os que foram utilizados neste ano. 
 
O dirigente explicou que, assim como aconteceu no ano passado, os novos pneus estarão disponíveis no GP do Brasil, no próximo dia 25, onde as equipes poderão realizar seus primeiros testes com o calçado. 
Novos compostos serão mais agressivos que os atuais (Foto: Pirelli)
“Para esta corrida, similar ao que aconteceu na temporada passada, nós estamos trazendo os pneus de 2013 para os times testarem”, contou. “É uma estrutura completamente nova, muito diferente do produto deste ano e o composto duro, em si, tem uma performance semelhante ao médio deste ano. Então estamos removendo todos os compostos para 2013 e trazendo um muito mais agressivo”, explicou.
 
Na visão de Hembery, os novos Pirelli representam um desafio a mais para as equipes, principalmente porque os carros serão basicamente os mesmos de 2012, uma vez que as regras da F1 não sofreram grandes alterações. 
 
“É um grande desafio para os times”, avaliou. “A definição do pneu do próximo ano será diferente, e isso tem um grande impacto na aerodinâmica”, ponderou. 
 
“A aerodinâmica, claro, é vital na F1, é a principal tecnologia na F1, então o que mudamos particularmente no pneu traseiro, é que ele deforma com a velocidade de forma diferente e isso muda o fluxo de ar pelo carro e isso vai impactar bastante a performance da aerodinâmica do veículo”, detalhou. “Nós daremos para os times em 2013 outro grande desafio. Será maior que o deste ano, quando vimos sete vencedores diferentes em sete corridas? Provavelmente não, principalmente porque o carro do ano que vem é muito similar ao carro deste ano. Quase nada na regra está mudando, é o mesmo carro deste ano”, frisou. 
 
“Entretanto, seremos mais agressivos com os compostos e mudando a estrutura dos pneus, o que significa que vamos mudar a aerodinâmica do carro. Será um fator interessante para os times”, apontou. “Alguns times vão tentar usar os testes para coletar o máximo de informações possível para a temporada de 2013, porque a próxima vez que eles vão vê-lo será na Espanha, em fevereiro”, concluiu. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube