Pódio no Brasil foi “resposta que queria dar”, lembra Gasly: “Mostrei meu valor”

Pierre Gasly fez uma retrospectiva do seu 2019 na F1 e lembrou, dentre tantos fatos de um ano intenso, a morte do amigo, Anthoine Hubert: “Foi um dos momentos mais difíceis da minha vida”. Por outro lado, o jovem francês classificou o pódio em Interlagos como uma espécie de redenção: “Foi um sonho de infância”

Pierre Gasly tem certeza de que jamais vai se esquecer deste 2019 que está prestes a se encerrar. O francês começou sua segunda temporada na F1 como piloto da Red Bull, uma das melhores equipes do grid, mas não convenceu. Criticado pela falta de performance desde a pré-temporada, Gasly perdeu espaço e a vaga no time taurino para Alexander Albon e foi rebaixado para a Toro Rosso. De volta ao time de Faenza, conseguiu se firmar, emendou grandes atuações e conquistou, de forma heroica, seu primeiro pódio na F1. Entretanto, sofreu com um duro golpe da vida ao ver a morte do amigo, Anthoine Hubert, em 31 de agosto na corrida 1 da etapa da F2 em Spa-Francorchamps.
 
Em entrevista à revista francesa ‘Auto Hebdo’, Gasly fez uma espécie de retrospectiva de 2019 e classificou o pódio conquistado no GP do Brasil como um momento de redenção.
Pierre Gasly viveu um ano de dor, tristeza e redenção em 2019 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Esta era a resposta que queria dar depois de seis meses em que as coisas não deram certo e geraram críticas. Pressionei a Red Bull para fazer mudanças e nem sempre foram justos com as coisas que me prometeram, mas assim foi. Fiquei conformado com o que me deram, mas não pude fazer mágica. Pelo menos pude mostrar meu valor na Toro Rosso”, declarou.
 
Pierre recordou o início difícil de temporada com a Red Bull e também citou a perda de Hubert, um amigo de infância na França.
 
“Não fiquei satisfeito com o começo da temporada, as coisas não correram como queria. Foi um ano complicado, perdemos um amigo como Anthoine Hubert, foi um momento muito difícil, um dos mais duros da minha vida”, disse.
 
A penúltima corrida do ano, o GP do Brasil, representou um momento de honra e glória para Gasly, que jamais vai se esquecer do embate com o hexacampeão Lewis Hamilton nos metros finais em Interlagos.
 
“Meu primeiro pódio na F1 foi um momento incrível. Eu me converti no francês mais jovem a subir ao pódio, é uma honra para mim. A corrida foi realmente sensacional, especialmente esse final com Hamilton. Foi um final louco, mas tinha a consciência de que estava em segundo lugar”, explicou.
 
“Vi que estava na última volta e que tinha a chance de ir ao pódio, mas queria muito estar à frente dele. Foi somente o terceiro pódio para a Toro Rosso, um grande resultado”, acrescentou.
 
No fim das contas, a conquista do seu melhor resultado na curta carreira de dois anos é motivo para festejar e agradecer. “É um sonho de infância que você fica imaginando por muito tempo, mas não poderia imaginar [que seria assim]. Também quero agradecer ao grande trabalho da Honda”, concluiu.

Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube