Pole com Leclerc em 2019, Ferrari perde quase 0s5 em Spa. Williams dá salto de 4s

A comparação dos melhores tempos obtidos nas classificações do GP da Bélgica do ano passado e deste ano é um retrato da enorme derrocada da Ferrari, a equipe que mais perdeu performance em relação a 2019

Há quase um ano, Charles Leclerc assombrava a Fórmula 1 ao conquistar, com sobras, a pole-position do GP da Bélgica. Em 30 de agosto de 2019, o monegasco marcou 1min42s519, enfiou 0s748 de vantagem para Sebastian Vettel, que completou a primeira fila toda da Ferrari em Spa-Francorchamps. No dia seguinte, Leclerc venceu, abriu uma série de três vitórias da escuderia italiana e, ao mesmo tempo, levantou suspeitas sobre o motor construído em Maranello.

A partir do GP dos Estados Unidos, a equipe jamais conseguiu se mostrar competitiva, mas depois de um acordo controverso com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) sobre o motor, a Ferrari vem mostrando desempenhos sofríveis ao longo da temporada 2020.

Mas não há nada que seja comparável ao que a mais tradicional e longeva equipe do grid vive neste fim de semana. De volta a Spa-Francorchamps um ano depois de varrer a concorrência, a Ferrari andou nos treinos livres ao mesmo nível de Alfa Romeo e Williams e, na terceira sessão, passou vergonha com Sebastian Vettel em 20º e último lugar. Na sessão classificatória, a escuderia italiana escapou de uma humilhação maior, mas foi eliminada no Q2 com Leclerc e Vettel.

Da pole em 2019 à eliminação no Q2 em 2020: a Ferrari está irreconhecível em Spa (Foto: Ferrari)

O melhor tempo da Ferrari neste sábado (29) de classificação do GP da Bélgica foi novamente registrado pelo monegasco. O dono do carro #16 registrou 1min42s996, tempo que foi exatamente 0s477 mais lento na comparação com a volta feita em 1min42s519 que lhe deu a pole-position em Spa no ano passado.

De todas as dez equipes do grid da Fórmula 1, a Ferrari foi a única que andou mais lenta na comparação com 2019. Em contrapartida, se o time vermelho regrediu, a Williams deu um enorme salto de qualidade depois de um ano pra lá de horroroso.

Em 2019, a equipe, vendida recentemente para o grupo norte-americano de investidores Dorilton, era habitué da última fila do grid. Neste ano, a Williams tem conseguido até com frequência avançar para o Q2, sobretudo com George Russell. O britânico, que no ano passado virou sua melhor volta na classificação em Spa em 1min47s548 e ficou em 19º no grid, desta vez marcou 1min43s468, uma diferença de 4s080. Russell vai largar em 15º neste domingo.

Na sequência, quem mais melhorou dentre as equipes na comparação com os tempos do ano passado foi a AlphaTauri, que foi 3s022 mais rápida do que em 2019 na Bélgica. A antiga Toro Rosso, que sequer passou para o Q2 em 2019, não chegou a avançar para a lista dos dez primeiros, mas colocou Daniil Kvyat em 11º e Pierre Gasly em 12º.

A McLaren foi 2s409 mais rápida em relação a 2019 na Bélgica, enquanto a Racing Point, que vinha sendo a equipe de maior evolução em muitas pistas do calendário em razão da chamada ‘Mercedes rosa’, avançou 2s215. E a Renault, que conseguiu grande melhora neste fim de semana, sobretudo em velocidade final, melhorou 2s042 sobre o ano passado. Daniel Ricciardo colocou o melhor carro da equipe de Enstone na quarta posição do grid da sétima etapa da temporada.

Na contramão da Ferrari, a Williams foi a equipe que mais evoluiu na Bélgica em relação a 2020 (Foto: Williams)

Com direito a novo recorde da pista, Lewis Hamilton virou 1min41s252 nesta tarde de sábado. O tempo aferido pelo hexacampeão do mundo foi 2s030 mais rápido que a melhor marca da Mercedes no ano passado na Bélgica, 1min43s282. A Red Bull também conseguiu um salto importante de 1s912 de 2019 para 2020. Até mesmo Haas e Alfa Romeo, que também contam com os motores Ferrari, conseguiram evoluir e foram 0s900 e 0s397 mais rápidas em relação ao ano passado, respectivamente.

O GP da Bélgica tem largada marcada para 10h10 (de Brasília) deste domingo. Antes, às 9h, o GRANDE PRÊMIO debate AO VIVO todos os detalhes da sessão classificatória e as últimas informações de Spa-Francorchamps no BRIEFING pré-corrida da sétima etapa da temporada 2020 da F1 no canal do GP no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube