F1

Polícia de SP prende mais dois homens acusados de participação no sequestro de sogra de Ecclestone

A Divisão Antissequestro da Polícia Civil de São Paulo prendeu mais dois acusados de participação no sequestro de Aparecida Schunck, sogra de Bernie Ecclestone. Danilo Pereira França e Milton da Cunha Franca foram apontados como os responsáveis pelo transporte entre a casa da vítima, em Interlagos, e o cativeiro, em Cotia

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Quase duas semanas já se passaram desde que Aparecida Schunck Flosi Palmeira foi libertada após a Divisão Antissequestro da Polícia Civil de São Paulo encontrar o cativeiro onde foi mantida por 11 dias. Nesta quinta-feira (11), mais dois suspeitos de participarem do sequestro da sogra do chefe da F1, Bernie Ecclestone, foram presos. 
 
Danilo Pereira França e Milton da Cunha Franca são acusado de serem os intermediários entre o idealizador do sequestro, Jorge Eurico Faria da Silva, e os dois captores responsáveis por mantê-la no apartamento em Cotia, na Grande São Paulo, Vitor Amorim e Davi Azevedo. A participação de França e Franca foi o transporte da vítima entre a casa dela e o imóvel que serviu de cativeiro.

Antes deles já havia sido preso Jorge Eurico da Silva Faria, ex-presidente da Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero, que foi apontado como responsável pelo sequestro. Seu nome também está envolvido em um caso de uma aeronave furtada que transportou drogas.
Fabiana Flosi e Bernie Ecclestone (Foto: Getty Images)

A polícia já havia também identificado outros dois sequestradores, ambos encaminhados ao DHPP logo após estourado o cativeiro: Vitor Oliveira Amorim e Davi VIcente Azevedo. Aparecida escapou ilesa, sem qualquer tipo de machucado. 
Os três suspeitos que haviam sido pegos já tiveram prisão preventiva decretada. No último final de semana, em entrevista à versão dominical do jornal inglês 'Times', a filha de Aparecida e esposa de Ecclestone, Fabiana Flosi, revelou que recebeu vídeos de decapitações de mulheres com a ameaça que o mesmo aconteceria com sua mãe caso o valor de resgate exigido, cerca de R$ 100 milhões, não fosse pago.
 
Como se deu o sequestro da sogra de Ecclestone
 
O GRANDE PRÊMIO confirmou o crime na última segunda-feira (26) depois que a revista 'Veja' trouxe à tona o caso. Fontes policiais informaram que a história começara de fato na sexta-feira anterior com a invasão da casa de Aparecida no bairro de Interlagos — portanto em uma casa de alto padrão próximo ao autódromo — e que o grupo de criminosos deixou um bilhete no local com o seguinte pedido: € 28 milhões — cerca de R$ 100 milhões, e não R$ 120 milhões, como fora informado — que deveriam ser divididos em quatro sacolas.
 
Durante o fim de semana, os sequestradores utilizaram o cartão de crédito da mãe de Fabiana e permitiram que a polícia pudesse rastrear o paradeiro, além de averiguar que se tratava de um grupo sem experiência neste tipo de ação.
 
PADDOCK GP #41 ABORDA F1, MOTOGP, OLIMPÍADA E MORTE DE CLAUSON