Por incidente no TL3 na Espanha, pilotos debatem sobre baixas velocidades em treinos

O estranho incidente envolvendo Esteban Ocon e Kevin Magnussen no TL3 em Barcelona levantou uma discussão que vai ser levada para o próximo briefing dos pilotos, antes do GP da Bélgica

No terceiro treino livre para o GP da Espanha de Fórmula 1, Esteban Ocon estava em uma volta lenta e deixou Kevin Magnussen ultrapassar na curva 3 do circuito catalão. Segundos depois, o piloto da Haas também diminuiu a velocidade, Ocon assustou-se, rodou e bateu.

Um curioso incidente envolvendo Esteban Ocon e Kevin Magnussen marcou o TL3 em Barcelona. Apesar dos dois envolvidos concordarem com os comissários que o acidente foi um infelicidade, e ninguém levar punição, o debate iniciou-se sobre uma medida muito utilizada pelos pilotos.

Na classificação, por conta do alto consumo de pneus, pilotos diminuíram muito o ritmo antes e depois das voltas rápidas. Para Ocon, essa prática é muito perigosa.

“Não é aceitável ter uma fila de carros no último setor. Se alguém aparecesse em velocidade de corrida, poderia ser bem perigoso. Isso tem sido comum. Em condições quentes, somos um minuto mais lentos na antes ou depois da volta rápida. Isso é muito, muito lento”, disse o francês.

Esteban Ocon se atrapalhou com Kevin Magnussen e bateu nos minutos finais do TL3 (Foto: Reprodução/TV)

Romain Grosjean, diretor da Grand Prix Drivers’ Association (GPDA), afirmou que o assunto será discutido no próximo briefing dos pilotos, antes do GP da Bélgica.

“Isso foi levantado pelos pilotos em Silverstone, acho que será lembrado. Podemos ir mais rápido, nós não vamos fazer outra volta rápida. É uma questão de segurança. Vou dizer uma coisa, você não se sente confiante pilotando tão devagar enquanto outros carros passam rápido”, afirmou o piloto da Haas ao site Motorsport.

“Em alguns lugares, o espelho não é suficiente. Com o rádio, fazemos nosso melhor para evitar. Já mencionei algumas vezes, um dia vai acontecer algo. Na Espanha, tivemos um momento assustador que, por sorte, não foi em alta velocidade”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube