F1

Por projeto de longo prazo e ingresso na F1, Nasr prefere ser terceiro piloto a correr na Caterham ou na GP2

Em entrevista para o GRANDE PRÊMIO, Felipe Nasr se mostrou decidido quanto aos objetivos para 2014. Vaga como terceiro piloto ou disputar a GP2 são as possibilidades

Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo / GABRIEL CURTY, de São Paulo


Felipe Nasr segue focado em entrar na F1 já neste ano de 2014. Após ficar perto de fechar com a Sauber, Nasr acredita que uma vaga como terceiro piloto é o caminho ideal para que ele consiga dar início a um projeto de longo prazo na elite do automobilismo mundial. Voltar à GP2 é uma alternativa, mas está longe de ser a opção preferida do brasileiro.
 
Presente no Desafio das Estrelas, disputado no último fim de semana, em Penha (SC), o jovem piloto brasileiro falou em entrevista ao GRANDE PRÊMIO sobre suas expectativas e planos para 2014.

“Meu objetivo era ter garantido essa vaga de titular. Não deu por alguns motivos, mas o importante é a minha transição para a F1. É isso que vou fazer nesse ano. Ter esse primeiro contato com o carro de F1, com uma equipe de F1, trabalhar, e, para isso, a melhor solução seria ter uma vaga de terceiro piloto ou fazer mais um ano na GP2, que também é considerável”, explicou.
Felipe Nasr procura uma vaga de terceiro piloto de equipe de F1 para 2014 (Foto: GP2)



Nasr deixou claro, contudo, que "é uma coisa ou outra": ou vira reserva na F1, ou continua por mais um ano na GP2.

Ao tratar das negociações para a temporada que se inicia em março, Nasr explicou que os contatos não foram poucos, porém alguns empecilhos atrapalharam. “A gente sondou muita equipe. A gente foi sabendo que cada um tinha um pacote, e daí, por alguns motivos, a gente não conseguiu juntar esse pacote. Mas conversei com várias equipes.”
 
O piloto de 21 anos disse que não foi somente o aspecto financeiro que pesou nas negociações. Havia uma preocupação adicional: garantias de que seria possível estabelecer um projeto de longo prazo. “Você não quer entrar na F1 para ficar um ano, como teve vários casos de pilotos que entram uma vez e no outro ano já não está. Não é isso. Quero uma carreira duradoura e, na hora em que eu entrar, quero todo esse pacote de uma maneira correta e de uma qualidade boa”, explicou.

Levando isso em conta, ele não se entusiasma com a única equipe que ainda não confirmou seus titulares para 2014, a Caterham: “Não interessa. É com uma vaga de terceiro piloto que a gente consegue uma coisa de melhor qualidade.”
 
Sobre qual caminho considera ideal para 2014, Nasr indicou que vai atrás do maior aprendizado possível, ou seja, a F1. “Achar melhor é ter o ano garantido. A gente está trabalhando para isso aí. Mas acho que a GP2 eu não estaria considerando tanto porque o que eu tinha que aprender ali, acho que já aprendi. É focar nessa vaga de terceiro piloto”, garantiu o brasileiro.
Nasr terminou em quarto lugar na temporada 2013 da GP2 (Foto: GP2)



Na GP2, o piloto disputou duas temporadas e foi ao pódio em algumas oportunidades, mas não conseguiu vencer nenhuma corrida. Apesar disso, acredita que, "de forma alguma", o fato de não ter subido ao degrau mais alto do pódio nenhuma vez atrapalhou as tratativas para entrar na F1.
 
“Acho que todo mundo percebeu o meu desempenho o ano inteiro. A vitória não veio por alguns detalhes, mas a competitividade foi o que contou mais alto, e o pessoal sabe analisar bem isso”, disse com convicção. Nasr disputou o título de 2013 até as etapas finais e terminou o campeonato em quarto lugar.
 
Sem dar pistas de qual vaga de terceiro piloto está buscando, mas promete não ficar parado. “O que for melhor para mim é o que eu vou correr atrás. Vou falar com muita gente”, garantiu.