Prefeito desmente negociações para Hockenheim receber F1 em 2013 e diz que prioridade é de Nürburgring

Com a crise financeira em Nürburgring, Hockenheim seria o caminho óbvio para ser sede do GP da Alemanha de 2013, mas o prefeito Dieter Gummer desmentiu que esteja negociando para receber a F1 e afirma que é muito difícil ter a categoria no circuito pelo segundo ano seguido

O circuito de Nürburgring enfrenta uma grave crise financeira e a imprensa alemã vem noticiando nos últimos dias que é quase impossível que a pista mantenha o acordo de revezamento com Hockenheim e receba a F1 na próxima temporada. Mas as notícias não são nada boas com relação ao GP da Alemanha de 2013.

Sem Nürburgring, a lógica seria que Hockenheim recebesse a F1 pelo segundo ano seguido e Bernie Ecclestone e os principais dirigentes do circuito chegaram a abrir negociações. Mas o prefeito da cidade, Dieter Gummer, não trouxe boas notícias ao público e negou que esteja negociando para ter a categoria na próxima temporada.

GP da Alemanha de 2013 está ameaçado de não acontecer (Foto: Sauber)

"É o caso de que estamos em contato constante, mas nunca abrimos negociações para receber a F1 em Hockenheim em 2013. Antes de negociar o GP, teríamos que estar preparados para conversar, mas, em todo caso, a prioridade é Nürburgring”, explicou Gummer à agência de notícias alemã 'DPA'.

O prefeito também relatou que organizar uma prova da F1 agora seria muito difícil. “Seria problemático, porque os preparativos para um GP começam, geralmente, na conclusão o evento anterior”, falou.

O GP da Alemanha de 2013 está marcado para o dia 14 de julho e é a penúltima prova antes das férias de verão dos pilotos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube