Preocupada com crise, Haas pede teto orçamentário menor na Fórmula 1

Chefe da Haas, Guenther Steiner ressaltou que Gene Haas está preocupado com os desdobramentos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Dirigente quer um teto orçamentário ainda menor para a Fórmula 1

Chefe da Haas, Guenther Steiner vociferou as preocupações de Gene Haas com o impacto econômico da pandemia do novo coronavírus. O dirigente reconheceu que o dono da equipe de Kevin Magnussen e Romain Grosjean está sendo paciente, mas defendeu que a Fórmula 1 adote um limite orçamentário ainda menor.
 
Por conta da pandemia, a temporada 2020 ainda não começou e, de fato, ninguém sabe ao certo quando será a primeira corrida, já que a volta às atividades depende das estratégias dos países no controle da disseminação do vírus.
 
Sem as corridas, as equipes sentiram o impacto nas receitas e, assim, adotaram medidas para lidarem com as perdas econômicas.
Gunther Steiner (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Paddockast #57
MARIANA BECKER e os bastidores da F1

Ouça:

Spotify | iTunes | Android | playerFM

“Como todos nós, ele [Gene Haas] não sabe o que vai acontecer num futuro breve, e se vamos ou não ter corridas”, disse Steiner ao site oficial da categoria. “Ele está feliz em esperar mais, mas, como qualquer empresário, não vai ficar feliz em esperar para sempre”, seguiu.
 
“Vamos torcer para que nós próximos meses nós tenhamos uma visão melhor do futuro. Tomara que a situação não permaneça fluida como está agora”, comentou. “Não tem nenhum culpado, são só as circunstâncias. No momento, ele pode ficar calmo, mas, em algum ponto, precisa tomar uma decisão”, considerou.
 
 
“No momento, ele quer ver no que vai dar. Nós colocamos as pessoas de licença e não demitimos. É uma daquelas coisas em que você precisa ter certeza de que tomou as decisões certas para o futuro, o que o mantém interessado no esporte”, falou.
 
A F1 já adotou medidas para conter os custos, incluindo o adiamento da introdução do novo regulamento. No entanto, o Mundial vai adotar as regras financeiras que estavam previstas para 2021, incluindo o limite de custos de US$ 175 milhões [cerca de R$ 887milhões]. 
 
A Haas, no entanto, pleiteia uma redução ainda maior no teto de gastos da F1.
 
“Deveria baixar. Eu respeito as grandes equipes e o desafio deles para reduzir de muitas pessoas para uma quantidade menor. É como dizer que ‘nunca é bom pular numa piscina fria, mas, em algum momento, você terá de fazer isso’, do contrário, você não estará mais lá”, comparou. “Vai ser frio e desagradável, mas, quando tiver feito, estará feito”, ponderou.
 
“Essa crise nos dá uma oportunidade. Nós precisamos fazer o esporte sobreviver. Não é bom se sobrarem só as três equipes ricas”, frisou. “Se a McLaren e a Renault querem que reduza, isso quer dizer alguma coisa. Eles são fabricantes de carros. Na minha opinião, são equipes grandes. Eles percebem para onde o mundo está indo. Não faz sentido seguir assim”, considerou.
 
“Espero que voltemos não para um em que o campeão não é o com a carteira mais cheia, mas com o melhor esforço de equipe. Espero que essa crise nos leve nesta direção. Mas, obviamente, não sei se isso vai acontecer”, encerrou.
 
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 

☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

assine agora