F1

Presidente vê Ferrari “abaixo da expectativa” em Monza e atraso em relação à Mercedes como “embaraçoso”

Presidente da Ferrari, Sergio Marchionne avaliou que o time de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen ficou abaixo da expectativa em Monza. Dirigente classificou como “embaraçosa” a diferença de performance em relação à Mercedes
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Sebastian Vettel (Foto:AFP)

Presidente da Ferrari, Sergio Marchionne não gostou nada do que viu no GP da Itália. O dirigente classificou a atuação do time de Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen em Monza como “embaraçosa”.
 
Lewis Hamilton e Valtteri Bottas formaram um 1-2 da Mercedes na casa da escuderia de Maranello e admitiram que não usaram potência máxima, já que não tiveram dificuldades para bater a Ferrari. Vettel ficou com o terceiro posto, já 36s317 atrás do vencedor. Räikkönen, por sua vez, ficou apenas em quinto.
Presidente não gostou nada da atuação da Ferrari em Monza (Foto: Beto Issa)

“A potência da Mercedes é, definitivamente, melhor do que a da Ferrari”, disse Hamilton no topo do pódio diante de uma multidão de torcedores da escuderia da casa.
 
Com Vettel agora fora da liderança, Marchionne não escondeu a insatisfação com a performance, mas garantiu que as metas do time não mudaram.
 
“Se você olhar para a diferença entre Mercedes e Ferrari, é embaraçoso”, avaliou Marchionne. “Mas a nossa meta não mudou. O que os Tifosi viram hoje simplesmente não foi a verdadeira Ferrari”, garantiu.
 
“Algo de errado aconteceu”, sugeriu.
 
Mesmo insatisfeito, Marchionne concordou com uma declaração de Niki Lauda, que colocou a Ferrari como favorita à vitória em Singapura.
 
“Sim, acho que sim, mas isso não muda o fato de que na semana passada nós estávamos muito próximos da vitória e talvez tivéssemos até mesmo o melhor carro. Aí aconteceu alguma coisa”, comentou. “Pela primeira vez na temporada, ficamos abaixo das expectativas na corrida, então, obviamente, temos trabalho a fazer. Mas embora Monza seja Monza, o campeonato ainda é longo”, minimizou.
 
“Mas os outros estavam quase 1s à nossa frente, e isso é impossível. Isso não é a Ferrari”, concluiu.


 
ALONSO COLHE O QUE PLANTA E FICA SEM NOVAS ALTERNATIVAS NA F1 PARA 2018