“Pronto para a F1”, Razia revela que negocia vaga para correr em 2013: “Eu quero estar no grid”

Vice-campeão da GP2, Luiz Razia volta seu foco para a F1. O baiano destacou o bom relacionamento com Caterham e Marussia, duas equipes que ainda não têm suas respectivas duplas de pilotos definidas para 2013, e sonha em finalmente garantir uma vaga no cobiçado grid

Luiz Razia teve em 2012 um ano de redenção. Depois de quase ter ficado de fora do automobilismo, o baiano fechou, na ‘bacia das almas’, um contrato com a Arden, equipe de Christian Horner, para disputar a temporada completa na GP2. E logo na primeira corrida, em Sepang, na Malásia, o brasileiro chegou à vitória. O campeonato foi polarizado entre Razia e seu ex-companheiro de Caterham Air Asia, Davide Valsecchi. No fim da temporada, o italiano, também veterano na GP2, obteve melhores resultados e conquistou o título em Cingapura.

Ainda assim, Razia entende que foi um ano bastante positivo porque, de certa forma, o colocou novamente na órbita das equipes de F1, seu maior objetivo na carreira. O baiano de Barreiras, atualmente com 23 anos, já foi reserva da Virgin (atualmente Marussia) e da Caterham até a temporada passada. Neste ano, já durante sua melhor temporada na GP2, Luiz foi convidado para guiar pela Force India durante o teste com novatos em Magny-Cours, na França.

Razia testou pela Force India neste ano. Foco do brasileiro é garantir uma vaga no grid em 2013 (Foto: Force India)

No entanto, Razia não deseja voltar a desempenhar a função de reserva. O piloto acredita que, depois do que mostrou na GP2 nesta temporada, está pronto para garantir uma vaga como titular em 2013.

“As coisas estão caminhando de maneira muito positiva para a próxima temporada”, disse o brasileiro durante entrevista concedida à revista britânica ‘Autosport’. O brasileiro se lembrou dos momentos de indefinição quanto à sua carreira, no começo da temporada. “Havia uma dúvida muito grande no fim de 2011 se eu conseguiria seguir correndo, mas, após esta temporada, que foi brilhante para nós, isso abriu uma série de oportunidades”, comentou.

“Se eu não tivesse resultados, seria muito difícil convencer as equipes, mas agora os times estão mais otimistas. Não é fácil para ninguém tentar entrar na F1, mas pelo menos agora eu tenho uma chance”, acrescentou o piloto, que revelou, em seguida, que está em negociações, tanto para participar novamente do teste com jovens pilotos, mas em Abu Dhabi — entre 6 e 8 de setembro —, bem como para conquistar uma vaga como titular na próxima temporada.

“Estou em contato constante com três ou quatro equipes e, atualmente, essa é minha meta, eu quero estar no grid. Há uma possibilidade para o teste de Abu Dhabi também, embora isso seja algo que nós precisamos finalizar”, disse Razia, garantindo que tem condições financeiras para lutar por uma vaga. “O que eu sei é que cada equipe está à procura de patrocínio, mas tenho alguns investidores que estão interessados em evoluir minha carreira.”

Embora não tenha revelado quais são as equipes com quem negocia visando 2013, Razia falou do bom relacionamento que deixou nos lugares por onde passou. Coincidência ou não, são todas equipes que ainda não têm suas respectivas duplas de pilotos definidas para a próxima temporada.

“Eu conheço algumas equipes muito bem. Testei antes pela Force India, e as pessoas sabem que eu tenho um bom relacionamento na Caterham e na Marussia. Eles todos sabem que eu cresci muito neste ano, e que as coisas correram muito bem na GP2”, salientou o brasileiro, pronto e disposto a dar um passo definitivo rumo ao seu objetivo maior. “Não quero simplesmente subir para a F1, estou pronto para isso”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube