Räikkönen afirma que não tinha carro para brigar pelas primeiras posições do grid da Malásia

O piloto finlandês disse que a Lotus não conseguiu extrair um bom desempenho do carro em situação de pista molhada. Por isso, a sétima colocação – que depois virou décima por causa de uma punição – foi o melhor resultado possível

Mais rápido dos treinos da sexta-feira, Kimi Räikkönen não conseguiu repetir o bom desempenho na definição do grid de largada do GP da Malásia, neste sábado (23). Sem conseguir extrair um bom rendimento do carro da Lotus com a pista molhada, o finlandês vai largar apenas na décima colocação em Sepang.

Após o treino, o piloto reconheceu que essa era a melhor posição de largada, já que a equipe não conseguiu se encontrar com o asfalto molhado. “Nós não fomos rápidos o bastante com os pneus intermediários, então não acho que poderíamos ter encontrado muito mais tempo com a pista molhada. Com toda certeza, eu queria mais, mas é o que temos, e eu espero um resultado melhor no domingo”, declarou.

Kimi Räikkönen reconheceu que a Lotus não tinha como brigar pela pole (Foto: Getty Images)
As informações do GP da Malásia em tempo real
Especial F1 2013, a temporada imprevisível
A volta virtual em Sepang, narrada por Massa
As imagens deste sábado na Malásia

Para piorar a situação do finlandês, ele ainda foi punido com a perda de três posições do grid de largada após bloquear Nico Rosberg durante o treino classificatório. Assim, o líder do campeonato caiu da sétima para a décima posição.

Kimi evidentemente lamentou a punição, mas se disse focado na corrida. O piloto também afirmou que se chover ou não durante a prova não fará diferença, pois será a mesma situação para todas as equipes. “Obviamente é frustrante perder três posições no grid, mas precisamos ver o que vai acontecer na corrida. Eu não faço ideia de como o tempo vai estar, mas será o mesmo para todo mundo”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube