Räikkönen dá aula de concisão e diz que, se carro estiver bom, pode ganhar posições em Suzuka

“Eu rodei”, disse Kimi Räikkönen sobre o que aconteceu no Q3 e que lhe custou as chances de conquistar uma posição de largada melhor que o sétimo lugar

Kimi Räikkönen, normalmente, é um homem de poucas palavras. Neste sábado (6), em Suzuka, no Japão, o ‘Iceman’ falou ainda menos que o comum. Depois de rodar no Q3 e ficar apenas com a sétima posição no grid de largada, o finlandês não parecia muito animado para comentar sua performance.

Questionado sobre o que aconteceu na fase final do classificatório, ele não poderia ser mais conciso – e óbvio: “Eu rodei”. Aí veio uma breve explicação. “Estava em uma volta boa e forçando, talvez um pouco demais, e perdi a traseira”, lastimou o piloto.

Kimi Räikkönen perdeu a traseira da E20 na curva Spoon no fim do Q3 (Foto: Red Bull/Getty Images)

Para Kimi, o resultado da classificação é uma “pena”, pois o carro nunca estivera tão bom antes durante o fim de semana. Durante o último treino livre, o piloto passou boa parte da sessão nos boxes para que seus engenheiros e mecânicos solucionassem um problema na barra estabilizadora da E20.

Ao comentar o que pode fazer na corrida deste domingo, a 15ª do Mundial de 2012, mais um exemplo de concisão e objetividade: “Se o carro estiver bom amanhã, devemos ser capazes de ganhar posições. Vamos ver o que acontece”.

Räikkönen é o terceiro colocado no Mundial de Pilotos e tem 45 pontos de desvantagem para Fernando Alonso, o líder do campeonato, que largará em sexto no GP do Japão. Kimi ainda não venceu na temporada – é o único entre os sete primeiros que ainda não subiu ao degrau mais alto do pódio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube