Räikkönen diz que Vettel está longe, mas lembra de 2007 e garante que motivação está “alta, como sempre”

Campeão num campeonato que foi decidido apenas na última corrida, Kimi Räikkönen aprendeu, em 2007, a importância de não jogar a toalha antes da hora. Baseado nas lições daquela briga, segue “trabalhando duro” para continuar até onde for possível na disputa pelo título da atual temporada

47 pontos separam Sebastian Vettel, líder do campeonato, de Kimi Räikkönen, o terceiro colocado, a quatro provas do encerramento do Mundial de F1. Mesmo assim, o finlandês segue acreditando que pode sagrar-se bicampeão em 2012.

Para o piloto da Lotus, o importante nesta reta final é não desistir, como ele não desistiu quando defendia a Ferrari em 2007. Naquele ano, Räikkönen estava atrás da dupla da McLaren, Lewis Hamilton e Fernando Alonso, na disputa pela glória maior do automobilismo mundial, mas venceu as duas últimas corridas e pôde, enfim, comemorar o seu primeiro título na categoria.

No retorno à F1, Kimi Räikkönen superou as expectativas de muita gente (Foto: Lotus/LAT Photographic)

“A distância para Sebastian está um tanto grande agora, então será muito difícil alcançá-lo, mas vamos continuar nos esforçando até o fim”, declarou Räikkönen.

A receita de Kimi para continuar fazendo sombra a Vettel e Alonso nas corridas que ainda estão por vir é simples: “Temos de que seguir trabalhando duro e manter um bom nível de motivação”. Isso, a propósito, é o que não falta. “Pessoalmente, eu sinto que a minha motivação está muito alta, como sempre”, assegurou o finlandês.

“Estou interessado em obter os melhores resultados que puder. Em 2007, o campeonato não foi decidido até a última corrida, então tudo é possível. Vamos ver o que acontece”, declarou Räikkönen, que também não quer estabelecer metas. “Não há porquê”, refutou. “Apenas precisamos continuar trabalhando o mais duro que pudermos para marcar muitos pontos e ver o que acontece a partir disso”.

Fora da F1 nos dois últimos anos, Räikkönen vem mostrando que ainda pode andar forte. Com 33 anos recém-completados (em 17 de outubro), o campeão do mundo, porém, já lamentou, algumas vezes, o fato de ainda não ter vencido na temporada de 2012 – ele é o único entre os sete primeiros do campeonato que ainda não subiu ao degrau mais alto do pódio. Por outro lado, Räikkönen também é o único que concluiu todas as 16 corridas disputadas até aqui, sendo que 15 delas foram dentro da zona de pontuação.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube