Räikkönen diz que vitória em Abu Dhabi é apenas início da reação da Lotus: “Há mais por vir, prometo”

Kimi Räikkönen se mostrou satisfeito com a evolução da Lotus depois de enfrentar dificuldades na segunda metade da temporada 2012 da F1. Apesar disso, o piloto cobrou uma evolução no ritmo de treino classificatório

A vitória no GP de Abu Dhabi foi só o começo para Kimi Räikkönen. Depois de vencer pela primeira vez desde que retornou à F1, no último fim de semana, o finlandês afirmou que está pronto para conquistar resultados cada vez melhores.

“Essa é uma maneira muito boa de mostrar a todos que fizeram a escolha certa. Nós mostramos durante toda a temporada que poderíamos ir bem e, em Abu Dhabi, vimos que podemos vencer. Ainda há mais por vir, eu prometo”, declarou.

O caminho para o primeiro triunfo, porém, não foi nada fácil. Embora já tivesse subido ao pódio em seis oportunidades, em 2012, a Lotus teve uma brusca queda de rendimento na segunda metade da temporada, principalmente quando algumas atualizações – como o DRS duplo – não funcionaram.

Kimi Raikkonen se mostrou tranquilo com  vitória em Abu Dhabi (Foto: Red Bull/Getty Images)

Apesar disso, a equipe inglesa seguiu trabalhando no carro e conseguindo conquistar a vitória na Marina de Yas. Kimi, aliás, valorizou o trabalho da escuderia e explicou que é muito difícil modificar um carro tendo apenas os treinos livres para trabalhar. “Nós não desistimos”, afirmou o piloto.

“Tivemos um período em que as atualizações não estavam funcionando exatamente como queríamos, e quando se avalia novas partes durante os treinos livre é muito difícil fazer progresso. Nós seguimos com o desenvolvimento do escapamento, na Coreia do Sul e na Índia, e o ritmo foi promissor durante todo o fim de semana em Abu Dhabi”, completou.

No entanto, apesar da evolução mostrada na última etapa, Räikkönen admitiu que a Lotus precisa melhorar nas tomadas de tempo do treino classificatório. “Eu nunca fiquei fora do top-10 em todo o fim de semana e, com isso em mente, acho que temos uma boa ideia de como podemos ser competitivos se nos classificarmos bem, o que tem sido o maior problema durante toda a temporada. Dessa vez, porém, deu tudo certo”, afirmou.

O finlandês também comentou sobre ter sido redescoberto pela F1 após a vitória em Abu Dhabi. Depois de ficar longe do estrelato praticamente desde o título de 2007 – e ser acusado de ter deixado a categoria por falta de motivação –, o piloto voltou a estar valorizado por causa do bom desempenho, além de seu jeito peculiar. Apesar disso, o nórdico disse que está tranquilo, pois não liga para a opinião alheia.

“Eu nunca me importei com o que as pessoas pensam. Se eu não terminar a próxima corrida, então vão achar que eu sou um piloto ruim. Eu apenas faço meu trabalho e se eu estou feliz com isso e estou fazendo o melhor para a equipe, então isso é tudo. Não me preocupo se as pessoas estão pensando coisas diferentes de mim agora”, disse.

Outro aspecto do finlandês que chamou a atenção em Abu Dhabi foi ter pedido pelo rádio para que o engenheiro ficasse quieto para que pudesse prestar atenção na corrida. Räikkönen, na verdade, se mostrou surpreso com o sucesso da frase “me deixe em paz, eu sei o que estou fazendo” e afirmou que é possível encontrar na internet mais algumas pérolas soltadas pelo rádio.

“Aparentemente, algumas mensagens do nosso rádio foram transmitidas pela televisão, e eu acho que nesses momentos dá para perceber o quanto eu queria apenas me concentrar, fazer o meu trabalho e vencer a corrida. Tudo que eu precisava saber era a diferença para o carro atrás de mim”, disse.

“Acho que provavelmente você pode achar outras frases minhas se procurar no YouTube, esmo na minha curta carreira na Nascar”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube