Ralf Schumacher questiona nível da F1 e defende vaga para “subestimado” Hülkenberg

Irmão do heptacampeão mundial Michael Schumacher e ex-piloto da Fórmula 1, Ralf Schumacher elogiou desempenho de Nico Hülkenberg no retorno à F1 pela Aston Martin e levantou dúvida sobre nível de pilotos atuais do grid

DUELO VERSTAPPEN-LECLERC NA FÓRMULA 1 2O22 É LINDO, MAS SE CONTINUAR O PAU VAI COMER

A Aston Martin precisou recorrer ao trabalho de Nico Hülkenberg nas duas primeiras corridas da temporada 2022, após Sebastian Vettel ser diagnosticado com Covid-19. A partir da próxima corrida, no GP da Austrália — agendado para o dia 10 de abril —, o alemão já estará de volta para retomar suas obrigações junto à equipe. No entanto, tem quem defenda a permanência do piloto reserva na escuderia britânica.

Ralf Schumacher, que já disputou 180 GPs na Fórmula 1 e chegou a vencer seis vezes pela Williams, acredita que a Aston Martin deveria manter Hülkenberg entre seus pilotos titulares após as duas exibições do alemão. ‘Hulk’ terminou com o 17º lugar no Bahrein e foi 12º na Arábia Saudita, uma posição à frente do titular Lance Stroll — que já havia sido criticado por Schumacher após o Bahrein.

“Vamos falar sobre a Aston Martin”, disse Schumacher em sua coluna pós-corrida no braço alemão do portal Sky Sports. “Se eu fosse eles, continuaria com Nico Hülkenberg porque obviamente ele pode trazer valor e melhorou significativamente na corrida [em Jedá] em comparação ao Bahrein”, opinou.

Ralf Schumacher, ao centro, foi piloto da F1 durante dez anos (Foto: Ferrari)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“E isso aconteceu mesmo após sua estratégia de pneus ser afetada pelo safety-car. Ele fez um grande trabalho, tiro o chapéu”, elogiou o ex-piloto da Fórmula 1. “Existem apenas duas possibilidades, realisticamente falando: ele foi subestimado por anos ou os pilotos atuais deveriam ser reconsiderados”, questionou.

A Aston Martin passa por problemas mais uma vez no começo do campeonato, com um carro que ocupa apenas as últimas colocações do grid. Mesmo após todo o investimento trazido pelo empresário Lawrence Stroll — pai de Lance —, a equipe não consegue subir de rendimento.

Com todos esses problemas, o retorno de Vettel passou a ser tratado como dúvida — já que o piloto demonstrou em algumas ocasiões o incômodo por não ter mais um carro competitivo. Schumacher possui a mesma visão, e disse “preocupado” com uma possível desmotivação do tetracampeão mundial.

Hülkenberg voltou à F1 para substituir Sebastian Vettel, que deve retornar na Austrália (Foto: AFP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Se Sebastian Vettel voltar agora, ele com certeza consegue tirar mais de um carro mais fraco por já estar familiarizado com o carro”, explicou. “Também consigo imaginar pelo menos um pequeno upgrade da Aston Martin. Posso apenas esperar por isso pelo bem do Vettel, porque estou sempre preocupado dele desistir em algum momento, antes que ele fique permanentemente lá atrás. Mas agora, espero vê-lo de volta ao cockpit em Melbourne”, encerrou.

A Fórmula 1 retorna daqui a duas semanas, entre 8 e 10 de abril, para o final de semana de disputa do GP da Austrália, em Melbourne — que retorna ao calendário após dois anos de ausência devido à pandemia do Covid-19.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.