Red Bull aponta ato “intimidador” da Mercedes na sala dos comissários em Abu Dhabi

Christian Horner criticou a atitude da Mercedes ao levar um advogado para a sala dos comissários pouco depois do desfecho do polêmico GP de Abu Dhabi

HAMILTON TEM RAZÃO AO DIZER QUE GP DE ABU DHABI FOI MANIPULADO?

Uma semana depois do dramático e polêmico GP que definiu o título da temporada 2021 em favor de Max Verstappen no Mundial de Pilotos, a Fórmula 1 ainda se depara com os resquícios da rivalidade feroz travada por Red Bull e Mercedes. Christian Horner, chefe da equipe taurina, criticou uma atitude da equipe octacampeã do Mundial de Construtores na sala dos comissários em Abu Dhabi. Isso porque a Mercedes levou para a reunião um advogado: Paul Harris.

Conhecido na Inglaterra por ter defendido o Manchester City junto à Uefa da ameaça de banimento da Liga dos Campeões em 2020 foi infração ao fair play financeiro, Harris já trabalhou também junto ao Liverpool para defender, em 2014, o atacante uruguaio Luís Suárez em razão da mordida em Giorgio Chiellini na Copa do Mundo do Brasil.

CHRISTIAN HORNER; ADRIAN NEWEY; RED BULL; F1; FÓRMULA 1;
Ao lado de Adrian Newey, Christian Horner criticou a postura da Mercedes (Foto: Clive Rose/Getty Images/Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Na Fórmula 1, o caso mais famoso defendido por Harris aconteceu em 2013, e com a Mercedes. Naquele ano, a equipe conduziu um teste secreto e proibido no meio da temporada em conjunto com a Pirelli em Barcelona. Lewis Hamilton e Nico Rosberg, à época, usaram capacetes sem pintura para evitar a identificação, mas o carro prateado foi flagrado na pista por fotógrafos locais. No fim das contas, depois de muita polêmica e críticas das outras equipes, a Mercedes escapou com uma reprimenda e foi vetada de participar dos testes intertemporada em Silverstone.

Harris subiu à torre dos comissários como integrante da Mercedes ao lado do diretor-esportivo Ron Meadows e do chefe de engenharia da pista, Andrew Shovlin. Christian Horner e Adrian Newey estiveram entre os representantes da Red Bull na reunião com os comissários em Yas Marina.

No entendimento do dirigente britânico, a atitude da Mercedes ao levar um membro não-esportivo foi um grande erro da rival. “Fomos convocados para a audiência dos comissários e fomos confrontados com um advogado que vi pela última vez lidando com um problema de pneus que eles tiveram em 2013. De repente, você está no meio disso”, declarou Horner em entrevista ao diário britânico The Telegraph.

“Os comissários na sala não são advogados profissionais. Tem o cara das finanças, o piloto-comissários e o comissário local. É justo enfrentar um advogado? Isso pode ser bastante intimidador”, apontou.

“Ele não é um membro operacional da equipe, não é um diretor-esportivo. É uma questão que precisa ser considerada pela FIA. Não queremos contratar advogados, muito menos advogados para competir”, complementou.

Por fim, o chefe da Red Bull seguiu a criticar a atitude da Mercedes depois da corrida. A equipe chefiada por Toto Wolff só quebrou o silêncio nos últimos dias depois de anunciar a decisão de não apelar contra a decisão da FIA e, assim, sacramentou o título conquistado por Verstappen no domingo passado.

“Achei decepcionante que não houvesse um único membro da Mercedes abaixo do pódio. É uma pena que eles tenham lidado com as coisas dessa forma. As emoções estão à flor da pele. Eles são uma máquina de vencer há oito anos e, em algum momento, isso tinha de acabar”, finalizou Christian Horner.

A Stock Car divulgou um vídeo com os detalhes do projeto (Vídeo: Divulgação)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar