Red Bull bate martelo, decreta fim da parceria com Renault e opta por motores Honda a partir da temporada 2019

A Red Bull anunciou nesta terça-feira (19) que vai utilizar motores Honda a partir da temporada 2019. Os rubro-taurinos optaram pelo ‘divórcio’ da Renault e assinaram um acordo de dois anos com a fábrica nipônica

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Red Bull anunciou nesta terça-feira (19) que chegou a um acordo para contar com motores Honda a partir da temporada 2019 da F1. Depois de 12 anos de uma bem sucedida parceria com a Renault, os rubro-taurinos assinaram um acordo de dois anos com a fábrica nipônica. 
 
Nos últimos meses, a Red Bull vinha ponderando seguir ou não com a Renault, e acompanhava de perto a performance da Honda, que, depois de três anos muito difíceis com a McLaren, passou a fornecer motores para a Toro Rosso.

Red Bull e Renault foram parceiras por 12 anos e, durante a era dos motores V8, conquistaram um total de 47 vitórias, quatro títulos no Mundial de Pilotos e outros quatro no Mundial de Construtores. A partir da introdução dos motores V6 turbo, no entanto, a relação ficou mais conturbada, já que a performance dos propulsores causou muitos atritos entre os times. Ao longo deste período, a parceria resultou em outras dez vitórias.
Red Bull escolheu os motores Honda a partir de 2019 (Imagem: Divulgação)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Chefe da Red Bull, Christian Horner se mostrou animado com a nova parceria e falou em brigar por vitórias e títulos.
 
“Este acordo multi anual com a Honda assinala o início de uma empolgante nova fase nos esforços da Aston Martin Red Bull Racing para competir, não só pelas vitórias em GPs, mas pelo que é sempre o nosso objetivo – títulos de campeonato”, declarou Horner. “Sempre tomamos decisões como essa de maneira racional e com apenas um critério em mente: acreditamos que o resultado nos permitirá competir em um nível mais alto. Após cuidadosa análise e avaliação, estamos certos de que esta parceria com a Honda é a direção certa para a equipe”, avaliou.
 
“Ficamos impressionados com o compromisso da Honda com a F1, pelas rápidas medidas que fizeram nos últimos tempos com nossa equipe irmã, a Scuderia Toro Rosso, e pelo escopo de sua ambição, que combina com a nossa. Estamos ansiosos para trabalhar com a Honda nos próximos anos e para competir juntos na busca dos maiores prêmios da F1”, frisou.
A Red Bull escolheu a Honda como parceira (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Presidente da Honda Motor Co., Takahiro Hachigo celebrou o acordo e avaliou que atender duas equipes na F1 vai ajudar a marca nipônica a avançar em seus objetivos. 

 

“Tendo estabelecido uma boa relação com a Scuderia Toro Rosso, nós decidimos estender nosso envolvimento com a F1 para outro time da família Red Bull, a Aston Martin Red Bull Racing, a partir da temporada 2019”, afirmou Hachigo. “Ter dois times significa que podemos acessar o dobro de dados. Acreditamos de trabalhar com a Toro Rosso e a Red Bull vai nos permitir nos aproximar da nossa meta de vencer corridas e campeonatos, construindo duas fortes parcerias”, seguiu.

 
“As discussões aconteceram muito rapidamente, graças atitude aberta e respeitosa da Red Bull em relação à Honda, levando a um acordo que é justo e equitativo para todas as partes”, completou.
Ainda, Horner considerou que o trabalho da Honda com as duas equipes da fábrica dos energéticos vai permitir um desenvolvimento “mais rápido, mais eficaz e mais competitivo”.
 
“O alinhamento da Honda com as duas equipes da Red Bull de F1 oferece um enorme potencial", ressaltou Horner. "A Honda terá acesso a uma riqueza de dados de ambas as equipes, com a Aston Martin Red Bull Racing liderando o caminho, e as oportunidades para um desenvolvimento mais rápido, mais eficaz e mais competitivo são dobradas”, continuou.
A Honda virou fornecedora da Toro Rosso em 2017 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Por fim, Horner aproveitou para agradecer a longa e vitoriosa parceria com a Renault e desejou sorte para os franceses no futuro. 
 
“Gostaríamos de agradecer à Renault pelos últimos 12 anos, um período em que vivenciamos momentos incríveis juntos. Algumas vezes tivemos nossas diferenças, mas a Renault sempre trabalhou incansavelmente e com o melhor de sua capacidade para nos fornecer uma unidade de potência competitiva”, reconheceu. “Esse ainda é o caso hoje e gostaríamos de agradecer à equipe da Renault, e particularmente aos caras em nossa garagem em todas as corridas, pelo seu firme compromisso, e estamos ansiosos para encerrar a nossa parceria em alta no final desta temporada. Nosso foco para o resto deste ano ainda é muito para entregar os melhores resultados possíveis no campeonato de 2018 e desejamos à Renault Sport o melhor para o futuro”, completou.
 

Mesmo com a nova parceria, a escuderia austríaca vai manter o nome de Aston Martin Red Bull. "Do nosso ponto de vista, não faz sentido identificar nem a Red Bull, nem a Toro Rosso, como equipe de fábrica. O atual regulamento nos obriga a forncecer o mesmo tipo de motor", afirmou Masashi Yamamoto, chefe de esportes da Honda.

CHOQUE DE REALIDADE

F1 TEM CAMPEONATO BOM DE CORRIDAS MONÓTONAS EM 2018

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar