Red Bull diz que opção pelo motor Ferrari para 2016 é “solução temporária” e sugere entrada de nova montadora na F1

Frustrada pelo fim das negociações com a Mercedes “antes de ir a fundo”, a Red Bull tem a Ferrari como única opção plausível para substituir a Renault caso realmente rompa o acordo com a fábrica de Viry-Châtillon para 2016. Mas caso assine com a montadora italiana, o time tetracampeão do mundo entende que tal solução será de curto prazo

Em litígio com a Renault, a Red Bull está cada vez mais perto de romper um casamento duradouro e vitorioso, que lhe rendeu oito títulos mundiais na F1 entre os ‘anos dourados’ de 2010 a 2013. Contudo, a falta de confiabilidade dos propulsores franceses, aliada ao relacionamento difícil entre a cúpula taurina e a direção da montadora de Viry-Châtillon faz com que o time de Milton Keynes busque opções para voltar a brigar por vitórias e por títulos. Depois de se frustrar com o fim das negociações com a Mercedes, a Red Bull deve optar pela Ferrari como futura fornecedora de motores. Mas Helmut Marko, consultor da equipe, entende que tal solução seria de curto prazo.

“As negociações com a Mercedes terminaram antes que tratássemos dela a fundo. Havia certas condições que jamais chegamos a discutir”, afirmou o austríaco, ex-piloto e atual consultor do time de Milton Keynes, em entrevista à revista alemã ‘Speed Week’.

Ansiosa para voltar aos tempos de glória, a cúpula da Red Bull vislumbra "solução temporária" tendo o motor Ferrari (Foto: Getty Images)

Ainda frustrado por não ter conseguido chegar a um acordo para contar com o melhor motor da F1 atual, Marko ainda provocou a Mercedes. “Vamos ver qual motor usaremos, mas talvez vamos bater a Mercedes de qualquer maneira. Isso seria muito desagradável para eles se o fizéssemos usando um motor Mercedes”, bradou.

No fim das contas, Marko entende que “o ideal” é que tanto Red Bull como a Toro Rosso se convertam em clientes da Ferrari, mas deixou claro que enxerga tal decisão como “uma decisão temporária”. A escuderia taurina sempre foi envolta a rumores sobre uma possível ligação da Audi com a F1.

De acordo com reportagem da revista alemã ‘Auto Motor und Sport’, a Red Bull mostra o desejo de ajudar o Grupo Volkswagen e indicou que está aberta inclusive a financiar parcialmente os custos de desenvolvimento de um novo motor. “Encaramos este [possível acordo com a Ferrari] como um primeiro passo para obter novamente um motor competitivo”, disse Marko.

O consultor, contudo, negou que haja pressa em resolver logo essa questão. “Não [há pressa] porque a Red Bull é muito bem postada tecnicamente. Nós temos menos pressa em relação à Toro Rosso simplesmente porque eles são um time menor. Mas, claramente, quanto mais breve for tomada a decisão, melhor”, complementou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube