Red Bull escolhe Ricciardo para testar motor atualizado da Renault no fim de semana do GP do Brasil

A Red Bull finalmente levará à pista a última especificação da unidade de potência da Renault, que usou 11 das 12 fichas de desenvolvimento, sobretudo para melhorar o motor de combustão interna (ICE) e o sistema de turbo. Depois das análises prévias, o time taurino vai decidir se também equipará o carro de Daniil Kvyat com o motor atualizado fabricado em Viry-Châtillon

Daniel Ricciardo será o encarregado de testar a última especificação de motor desenvolvida pela Renault para a temporada 2015 do Mundial de F1. O australiano foi escolhido pela Red Bull para acelerar, a partir da sexta-feira (13) de treinos livres do GP do Brasil, a unidade de potência atualizada depois do uso de 11 das 12 fichas de desenvolvimento disponíveis, com foco, sobretudo, na evolução do motor de combustão interno e também no sistema de turbo. Assim, já se sabe que Ricciardo perderá dez posições no grid de largada em Interlagos.
 
A expectativa de Rémi Taffin, diretor de operações da Renault, é que a unidade de potência atualizada da Renault proporcione um ganho de pelo menos 0s2 por volta. Depois de um ano marcado pela falta de confiabilidade e de muitos problemas na relação com a Red Bull, que culminou com o divórcio antes do fim do contrato, a Renault trabalhou na evolução do motor com foco voltado principalmente para 2016, quando, ao que tudo indica, voltará à F1 como equipe.
O escolhido: Ricciardo vai testar a última versão do motor Renault neste fim de semana em São Paulo (Foto: Red Bull)
A Renault já havia levado a nova especificação do seu motor para Austin, nos Estados Unidos. Mas tanto Red Bull como a coirmã Toro Rosso optaram em não usá-lo para evitar punição com perda de posições no grid. Mas para Interlagos, a equipe tetracampeã do mundo decidiu ir em frente com o teste com a unidade de potência atualizada fabricada em Viry-Châtillon.
 
Ricciardo já vai acelerar com o motor atualizado da Renault nos primeiros treinos livres do GP do Brasil. Dependendo da performance da unidade de força, com base na análise dos dados após a quilometragem obtida em Interlagos, a Red Bull decidirá se vai equipar, ou não, o carro de Daniil Kvyat com o propulsor atualizado.
 
Já a Toro Rosso não deverá servir como laboratório para os testes realizados pela Renault. A equipe chefiada por Franz Tost decidiu que vai correr, tanto no Brasil como em Abu Dhabi, com a atual especificação de motor da Renault nos carros de Max Verstappen e Carlos Sainz Jr.
 
É muito provável que seja a última vez que a Red Bull vai estrear um motor Renault de fábrica, já que o casamento entre as marcas já tem data para terminar. O que pode acontecer, no entanto, é a equipe tetracampeã do mundo utilizar motores da Renault em 2016, mas preparados por outras empresas.
 
O GRANDE PRÊMIO terá uma cobertura especial do GP do Brasil de F1 e vai acompanhar ‘in loco’ todos os principais eventos ao longo da semana, bem como todas as atividades no paddock e na pista em Interlagos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube