F1

Red Bull ignora mudança de nome e processa Rich Energy por plágio

A Lightning Volt ainda vai passar mais alguns tempos encarando as responsabilidades de ter sido a Rich Energy: a própria companhia divulgou que ela e seu ex-diretor executivo, William Storey, estão sendo processadas por plágio novamente: agora pela Red Bull

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
A sequência de problemas envolvendo a ex-Rich Energy, marca de bebidas energéticas que atua na Fórmula 1 como patrocinadora principal da Haas, segue em ritmo alucinante. Após anunciar e voltar atrás no fim do contrato com a equipe norte-americana e demitir o diretor-executivo, agora encara um processo de plágio pela Red Bull. Foi a própria companhia que divulgou o processo.
 
Por conta dos problemas recentes, o diretor William Storey foi tirado da frente da companhia, que até mudou de nome: de Rich Energy para Lightning Volt. Mas nem a mudança evitou que o processo chegasse alguns dias depois: a acusação é que a marca rival utilizou peças de publicidade com o slogan 'Te dá Chifres', contra a Red Bull, algo que a marca austríaca acredita violar direitos autorais do tradicional 'Te dá Asas'.
 
"O autor alega violação dos direitos autorais contra os réus em relação ao uso de símbolos idênticos e semelhantes aos das marcas bem conhecidas do autor, Red Bull e 'Te Dá Asas', na publicidade das suas bebidas energéticas", afirmou.
A acusação da Red Bull (Foto: Reprodução)
"O segundo réu [Storey] é diretor-executivo e diretor do primeiro réu", encerrou. 
 
Não é a primeira vez que a Rich Energy sofre um processo como esse. No começo do ano foi acusada de plagiar o logo da Whyte Bikes, montadora britânica de bicicletas. O processo judicial trouxe derrota para a marca de energéticos, que foi ordenada judicialmente a parar de exibir as marcas plagiadas a partir de hoje, 18 de julho.
 
Na última semana, em novo julgamento envolvendo os direitos na briga com a Whyte Bikes, a Suprema Corte Britânica forçou a marca de energéticos a divulgar suas finanças, revelando detalhes do acerto com a Haas e também dos lucros obtidos pela parceria.
 
Além disso, como resultado da sessão que aconteceu pouco depois do GP da Áustria, teve de pagar à empresa ATB, responsável pela Whyte Bikes, uma multa no valor de £ 35,416 - aproximadamente R$ 167 mil. 


Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.