Red Bull lamenta problemas no motor Renault e espera se aproximar da Mercedes apenas no meio da temporada

A Mercedes se destacou pela alta quilometragem e a Ferrari foi a mais rápida dos testes de pré-temporada. A Red Bull, por outro lado, não se apresentou como muitos esperavam. A cúpula do time taurino reconhece que está atrás das rivais e já adota um discurso cauteloso, esperando lutar pela ponta somente a partir do verão europeu

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Na esteira das aguardadas sessões de testes de pré-temporada desta renovada F1, a Red Bull foi uma das decepções. Havia muita expectativa sobre o desempenho do novo RB13, sobretudo pela capacidade reconhecida do time taurino em se dar bem nas mudanças de regulamento. Mas a equipe enfrentou problemas, sobretudo no novo motor Renault, e andou seguidamente atrás de Mercedes e Ferrari e, em muitos momentos, foi inferior até à Williams.

 
A cúpula do time de Milton Keynes reconhece que a Red Bull neste momento está atrás de Mercedes e Ferrari, mas acredita que, com muito trabalho e com a providencial evolução do motor Renault, pode alcançar as rivais a partir do meio da temporada, no verão europeu.
 
Dietrich Mateschitz, o dono da Red Bull, entende que, ao menos neste primeiro momento, a Mercedes segue como a equipe dominante do grid. “A Mercedes lidera, mas a Ferrari e nós estamos nos aproximando. Esperamos estar ao seu nível no verão”, disse o austríaco, durante entrevista à revista ‘Speed Week’, em tom de cautela.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

A Red Bull ficou longe de impressionar as rivais na pré-temporada da F1 (Foto: Red Bull Content Pool)
Já o consultor da Red Bull, Helmut Marko, prevê uma disputa mais parelha entre Mercedes e a Ferrari. Mas, quanto aos taurinos, o grande problema neste momento está na confiabilidade do motor Renault, mas a forma que o RB13 lida com os pneus também não foi a ideal.
 
“A Ferrari será uma grande candidata à ponta. Parece que a Mercedes tem alguns problemas com o assoalho do seu carro, por isso que sua vantagem não será como antes. Nós tivemos vários problemas com o MGU-K. Nos disseram que isso seria solucionado para o último teste, mas não foram. Às vezes não conseguimos encontrar a temperatura correta nos pneus e não conseguimos entender o motivo”, lamentou.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Por outro lado, há um clima de ceticismo no paddock sobre o que a Red Bull mostrou nos testes de pré-temporada. Muitos entendem que a equipe de Daniel Ricciardo e Max Verstappen escondeu o jogo nos trabalhos em Barcelona, algo desmentido pelo australiano, e que tudo será diferente tão logo os carros estejam na pista pra valer.

 
O próprio chefe da equipe, Christian Horner, é claro ao dizer que o RB13 que vai acelerar no fim de semana de abertura do campeonato, na Austrália, será bem diferente do que foi à pista nos testes de inverno em Barcelona. Contudo, o dirigente britânico fez mistério sobre o que vem pela frente. “Pode contar com isso, embora possa ser uma surpresa diferente do que vocês possam imaginar”, concluiu.

PADDOCK GP #68 ANALISA SEGUNDA SEMANA DE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube