Red Bull pede punição esportiva e não apenas financeira se Mercedes for considerada culpada por teste

Christian Horner, chefe da Red Bull, não se mostrou convencido sobre os argumentos usados pela Mercedes na defesa sobre o caso do teste secreto com a Pirelli e afirmou que a rival deveria ser punida também no âmbito esportivo e não só com uma multa monetária

Presente na audiência do Tribunal Internacional da FIA nesta quinta-feira (20), Christian Horner acredita que a Mercedes deve ser punida também no âmbito esportivo e não apenas com uma alta multa em dinheiro, por participar do teste secreto com a Pirelli.

Chefe da Red Bull Christian Horner em Barcelona (Foto: Getty Images)

A equipe alemã e a fornecedora italiana de pneus foram ao banco do réus e tiveram de responder perguntas sobre o treino extra que conduziram em Barcelona, logo depois do GP da Espanha, entre os dias 15 e 17 de maio. O Tribunal avalia se a dupla violou o Regulamento Esportivo, já que a esquadra germânica também colocou seus pilotos titulares na pista catalã, além do carro atual.

Em sua defesa, o time dirigido por Ross Brawn alegou que não tirou qualquer vantagem técnica com a atividade e que os trabalhos foram totalmente conduzidos pela Pirelli. Já a fabricante justificou, dizendo que tem direito a treinos com as equipes e chegou a questionar o poder legal de punição da entidade máxima do esporte a motor.

Horner, entretanto, se mostrou cético quanto aos argumentos apresentados pelos rivais prateados. Perguntado se estava convencido sobre o que realmente aconteceu durante os testes, o chefe de equipe da Red Bull disse que ainda não. "Na verdade, não. Mas agora quem precisa decidir sobre isso é o Tribunal. Eles possuem todos os fatos e confio neles para tomar a melhor decisão", disse em entrevista ao site 'ESPNF1'.

O britânico, entretanto, entende que, se a Mercedes for considerada culpada, precisar ser punida com rigor. "Não é nossa responsabilidade comentar que tipo de punição deveria ser aplicada, mas é comum, quando se viola uma regra do esporte, receber uma sanção também esportiva", afirmou. "Acho que é bastante claro que, na F1, você sempre aprende algo com testes, e em particular quando esse teste é feito com o carro atual, por isso é quase irrelevante o tipo de pneus que foi usado", completou.

Ao falar do tipo de punição que poderia ser aplicada, o dirigente acha que tem de ser mais do que apenas uma pena monetária. "Isso é com o Tribunal, mas o problema é que, se é só uma pena financeira, então se torna apenas um custo a mais por um teste. A coisa mais importante é esclarecer essa situação: é permitido ou não realizar esses testes", explicou.

"Obviamente, a Ferrari também fez parte de testes, embora tenha usado o carro de 2011, que está dentro das normas, mas o importante é seguir em frente com transparência e clareza porque a maneira como este teste foi realizado não foi correta", acrescentou.

A decisão do Tribunal Internacional da FIA sai nesta sexta-feira (21).

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube