Red Bull prega união com Honda para aproveitar fim “inevitável” da Era Mercedes

O chefe Christian Horner trabalha para manter todos unidos na Red Bull, apesar da frustração de não desafiar diretamente a Mercedes. O dirigente acredita em luta por título em 2022

Nada dura para sempre. Nem mesmo o domínio da Mercedes na Fórmula 1, por mais que algumas vezes pareça assim. É com isso em mente que a Red Bull projeta os próximos anos: mesmo que 2020 seja um ano de pouco progresso no desenvolvimento do carro e na parceria com a Honda, é hora de apresentar confiança mútua para voltar a sonhar com título em breve.

“Nossa grande oportunidade é em 2022”, disse o chefe Christian Horner, seguindo a linha de que 2021 pode muito bem ser um ano perdido. “Vai ser difícil no ano que vem, com 60% da performance dos carros sendo mantida, mas não quer dizer que a gente não tenha como descobrir um potencial maior através de desenvolvimento e melhor compreensão do carro”, seguiu.

2020 já é ano frustrante também para Max Verstappen. Mesmo vencendo corrida e indo ao pódio sempre que viu a bandeira quadriculada, o holandês se vê de mãos atadas contra a Mercedes. A toalha já foi até jogada na luta por título deste ano e do próximo.

Christian Horner segue em busca de uma forma de derrotar a Mercedes (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O trabalho de Horner passa a ser evitar uma crise interna. Caso mantenha Honda e Verstappen sob controle, a Red Bull tem grandes chances de ser a primeira na fila para derrotar a Mercedes.

“Nós [Red Bull e Honda] precisamos seguir trabalhando juntos. Eu tenho convicção de que somos capazes de chegar lá. A história da Fórmula 1 mostra que a superioridade da Mercedes precisa terminar em algum momento. É inevitável”, encerrou.

Mesmo em meio à decepção de não brigar por vitórias regularmente em 2020, a temporada promete uma notícia positiva para a Red Bull. A equipe tem tudo para terminar o Mundial em segundo lugar, algo que não acontece desde 2016. O último título, por sua vez, ainda é o de 2013, no auge da parceria com Sebastian Vettel.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube