Renault confirma negociação com Toro Rosso, mas admite preferência por três equipes em 2014

Fornecedora de motores pode ter cinco equipes no seu braço de clientes na F1, mas Jean-Michel Jalinier revelou que a intenção é ter, no máximo, três times e disse que torce pela entrada de uma nova empresa que desenvolva propulsores

Na próxima temporada da F1, as equipes terão que fazer inúmeras mudanças nos carros. Uma delas é a adaptação ao novo motor V6 de 1,6 L turbo, grande novidade para 2014. Ainda procurando uma fornecedora de motores, a Toro Rosso, atualmente com motores Ferrari, afirmou, recentemente, que abriu negociações com a Renault – mesma fabricante que tem parceria com a Red Bull.

Nesta terça-feira (26), Jean-Michel Jalinier, diretor dos franceses, confirmou as conversas com a equipe italiana, mas admitiu que deseja tentar diminuir o atual número de quatro equipes (Red Bull, Lotus, Williams e Caterham) para três, mas, porém não descarta o acerto com a Toro Rosso.

A Toro Rosso é uma possível cliente da Renault para 2014 (Foto: Toro Rosso/Getty Images)

“Em 2014, se necessário, vamos fornecer para cinco equipes. Estamos negociando com a Toro Rosso. Estamos prontos para cinco equipes, mas três seria melhor para nós. Seria mais fácil para nós ajudar todos [os três times]”, explicou Jalinier à revista ‘Speed Week’.

Ele afirmou que a entrada de mais uma fornecedora seria ideal para dividir melhor as atuais equipes do grid da F1. “Três fornecedores [Ferrari, Mercedes e Renault] não são suficientes para todas as equipes. Ter cinco equipes não é a nossa primeira opção”, falou.

A Cosworth já anunciou que não vai continuar na F1 para a próxima temporada devido ao alto custo do desenvolvimento dos novos propulsores. A nova fornecedora de motores da categoria pode ser a Honda que, segundo as últimas informações, negocia com a McLaren para retornar em 2015.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube