carregando
F1

Renault descartou “negativo” Hülkenberg por projeto de longo prazo com Ocon, diz Prost

Diretor não-executivo da Renault, Alain Prost entende que era melhor trazer um piloto jovem e com um projeto de longo prazo, como Esteban Ocon, do que seguir com Nico Hülkenberg até o fim de 2020. O dirigente lembrou que o alemão, embora seja “um excelente ser humano”, foi “um pouco negativo” diante dos problemas da equipe no ano passado

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Em meados da temporada passada, a Renault decidiu apostar na juventude de Esteban Ocon, o que significou o fim da linha para Nico Hülkenberg, que se despediu da equipe de Enstone depois de cumprir um contrato de três anos. O alemão, embora tenha trazido experiência para o time anglo-francês e ajudado na evolução, sobretudo em 2018, não conseguiu o sonhado pódio. A escuderia chefiada por Cyril Abiteboul optou por Ocon, francês como a equipe, em nome de um projeto de longo prazo, revelou Alain Prost. 
 
Em entrevista à emissora Canal +, o tetracampeão mundial de F1 e diretor não-executivo da Renault ressaltou também que Hülkenberg, ainda que seja “um excelente ser humano”, foi um pouco negativo diante dos problemas vividos em 2019.
 
“Nico só queria um ano de contrato. Foi um pouco complicado o que ele pedia, de certa forma, portanto tivemos de tomar uma decisão. Era um momento que antecedia uma mudança de regulamento, e era difícil planejar isso com Nico sabendo que ele terminaria seu contrato neste ano”, explicou o ‘Professor’.
Esteban Ocon chegou à Renault com prestígio para formar dupla com Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
“Por outro lado, Nico é excelente como ser humano, mas ele foi um pouco negativo, ainda que seja claro que o carro não evoluiu como queríamos. Portanto, definitivamente, seguir por mais um ano, sem olhar para o futuro, não era a melhor ideia. Iríamos terminar 2020 com Nico e Daniel ao final dos seus contratos”, lembrou Prost.
 
Em contrapartida, Ocon é a juventude e também a certeza da oportunidade de apostar, por bons anos, em um piloto de somente 23 anos e com uma margem para melhora bastante grande.
 
“Claro que Ocon é um piloto jovem, francês, sim. Mas essa não era a prioridade. Ele é um piloto de futuro e com ele poderíamos assinar um contrato longo, de dois anos e opção por mais um, por exemplo. Ele vai trazer o frescor de um jovem piloto que chega a uma nova equipe. Aqui, ele pode fazer um primeiro ano como preparação para o futuro, é diferente. Nós projetamos um pouco mais para o futuro”, explicou.
 
Prost elogiou a forma como Ocon já se relaciona com a Renault, embora lamente que o francês não tenha conseguido ainda fazer uma corrida com o time em razão da temporada interrompida pela pandemia do novo coronavírus.
 
“Ele se integrou bem, se dá muito bem com Daniel e toda a equipe. Assim que também nos dá um pouco de frescor. Embora, por outro lado e, infelizmente, gostaríamos que ele já tivesse feito várias corridas”, concluiu Prost.

Paddockast #59
DUPLA IMPLACÁVEL: Daniel Serra e Ricardo Maurício


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.